Telecomunicações

Fim do roamimg pode aumentar preços

O fim do roaming na União Europeia (UE), a partir de 15 de junho, pode significar um aumento dos preços das telecomunicações nos mercados internos, em especial nos países do sul da Europa. 

De acordo com um estudo da Altran, o fim das tarifas de roaming implica um maior investimento na capacidade de rede dos países que recebem grandes quantidades de turistas estrangeiros e esse investimento poderá ter de ser suportado pelos cidadãos desses países.

"Um aumento dos preços domésticos poderá ser uma consequência da adaptação da Roam like at Home (utilizador usa o pacote de telecomunicações que definiu no seu mercado)”, diz o estudo, citado pelo DN. A ideia da medida Roam like at Home é permitir a todos os cidadãos europeus a utilização dos seus telemóveis para chamadas, SMS ou Internet móvel em qualquer estado-membro da União Europeia sem pagar taxas adicionais.

Segundo o estudo, uma das consequências poderá ser a subida dos preços dos tarifários por parte das operadoras, que terão mais custos para alojar as comunicações estrangeiras. Isto porque haverá “necessidade de investimento na capacidade de rede, especialmente em países que importam roaming [recebem muitos turistas] com grande sazonalidade”.

“Pessoas com menores rendimentos irão subsidiar o acesso aos serviços digitais de pessoas com elevados rendimentos”, conclui o estudo da Altran, segundo o qual os cidadãos dos países do norte serão os únicos a poupar custos, até porque os cidadãos do sul, com menor rendimento, têm menos disponibilidade para viajar e por isso não beneficiam desta redução do roaming.

A UE chegou a um acordo sobre o fim das tarifas pelo uso de telemóveis noutro Estado-membro (roaming) a partir de 15 de junho. Este acordo passa por novos tectos de preço que “devem ser baixos o suficiente para possibilitar que os operadores ofereçam o roaming sem custos aos seus clientes sem aumentar os preços domésticos”.