Internacional

Equador. Lenin Moreno confirma favoritismo e vence presidenciais

Candidato derrotado apontou irregularidades e pediu recontagem dos votos

O antigo vice-presidente de Rafael Correa venceu a segunda volta das eleições presidenciais do Equador, realizadas este domingo, um mês e meio depois de ter ficado a menos de 1% de conquistar o cargo. 

De acordo com os números divulgados pelo Conselho Nacional Eleitoral equatoriano, esta segunda-feira, Lenin Moreno conseguiu 51,16% da totalidade dos votos, contra 48,84% do ex-banqueiro, Guillermo Lasso.

“Com o coração nas mãos, agradeço a todos os que, em paz e harmonia, foram votar. Serei o presidente de todos e com a vossa ajuda”, declarou o candidato apoiado pela Alianza PAIS e por Correa – presidente do Equador desde 2007 –, citado pelo “El País”, na hora de celebrar a vitória.

Já o candidato derrotado aponta irregularidades na contagem dos votos e avançou mesmo com um pedido de impugnação do resultado e uma nova recontagem. “Vamos defender a vontade do povo equatoriano, tendo em conta a existência de acusações de fraude, que têm por objetivo instalar no poder um governo ilegítimo”, defendeu o candidato do Movimiento CREO-SUMA.

Recorde-se que na primeira volta das eleições presidenciais do Equador, realizadas no final de fevereiro, o candidato da esquerda obteve pouco mais de 39% dos votos, insuficientes, ainda assim, para garantir a vitória. Mesmo tendo tido mais de 10% de vantagem sobre Lasso, Moreno não conseguiu os 40% necessários exigidos pela lei eleitoral daquele país sul-americano, para ser declarado vencedor.