Sociedade

Face Oculta. Relação do Porto confirma condenação de Armando Vara

Ex-ministro tinha apresentado recurso à decisão de 2014 do Tribunal de Aveiro, que o condenou a cinco anos de prisão efetiva


O tribunal da Relação do Porto confirmou esta tarde a decisão de primeira instância de condenar Armando Vara a cinco anos de prisão efetiva no âmbito do caso Face Oculta. O antigo governante viu assim negado o recurso que interpôs no final de 2014. Vara foi condenado por crimes de tráfico de influência.

Também José Penedos, outra das peças-chave no esquema de corrupção que beneficiava o sucateiro de Ovar Manuel Godinho, viu a Relação manter a sua pena de prisão efetiva de cinco anos.

Já o empresário Manuel Godinho foi condenado em setembro de 2014 a uma pena de 17 anos e meio de prisão (em cúmulo jurídico) por cerca de cinco dezenas de crimes, como corrupção, tráfico de influências, associação criminosa, furto, falsificação e perturbação de arrematação pública e burla. Os desembargadores decidiram agora reduzir a pena para 15 anos e 10 meses.

A Relação do Porto decidiu atenuar as penas aplicadas aos restantes 31 arguidos.

No total tinham sido entregues mais de três dezenas de recursos. Os desembargadores alteraram algumas decisões do Tribunal de Aveiro, que visavam os outros arguidos.

No total no caso Face Oculta foram condenados 36 arguidos (entre os quais duas pessoas coletivas), 11 deles a penas de prisão efetivas. 

 

Em atualização