Politica

Rui Moreira diz que não negoceia lugares com o PS Porto

No PS/Porto há a expetativa de que Manuel Pizarro seja o número dois de Rui Moreira. Mas fonte oficial da candidatura garante ao i que “não houve nem há acordos sobre lugares nas listas” e que o independente não vai olhar a cartões partidários quando fizer convites.

O apoio a um candidato vem sempre com um acordo sobre lugares nas listas, certo? Errado. Quando o independente se chama Rui Moreira, não há lugares seguros para os partidos que o apoiam. PS e CDS não podem contar com isso, mesmo que nos partidos haja a expetativa de que se mantenha quem já está a trabalhar com o presidente da Câmara do Porto. É pelo menos essa a garantia da candidatura independente.

“Não há negociações de lugares. Nunca houve e não vai haver”, afirma ao i fonte oficial do gabinete de Rui Moreira, assegurando que “nunca foram acordados lugares com o PS e com o CDS”.

Moreira número dois?

No PS há, contudo, a expetativa de que Manuel Pizarro seja o número dois na lista de Moreira e mantenha os pelouros da Reabilitação Urbana e dos Bairros Sociais, mas no gabinete do presidente da câmara não se confirma a informação.

“A lista não está feita. Rui Moreira ainda não convidou ninguém”, assegura fonte oficial do gabinete de Moreira, explicando que os convites serão feitos “tendo em conta a competência e as características individuais de cada um, e não os cartões partidários.”

Nas últimas eleições, Rui Moreira teve consigo pessoas do PS e do PSD e até independentes próximos do BE e do PCP. “Tínhamos de tudo”, lembra fonte oficial do gabinete do presidente, garantindo que o espírito é para manter e que os apoios partidários do PS e do CDS não vão condicionar a atitude do independente que quer renovar o mandato à frente da autarquia portuense.

De resto, a mesma fonte diz que Moreira só vai pegar no telefone para começar a fazer convites dentro de algumas semanas. “Ainda não estamos em campanha eleitoral”, justifica o gabinete de Rui Moreira, que afirma ainda não estar fechada a data de apresentação oficial da candidatura ou se estarão presentes os dirigentes dos dois partidos que apoiam o independente.

O i sabe, contudo, que no PS/Porto se acredita que o líder da federação socialista, Manuel Pizarro, deve mesmo figurar como número dois, mantendo os pelouros que já tem, e que o mesmo deve acontecer com os socialistas que já estão na assembleia municipal e nas freguesias. “Há protagonistas que estão identificados e que se devem manter”, assume uma fonte socialista da federação, admitindo, porém, que “não há acordos sobre lugares.”

Nos partidos, as autárquicas são sempre sinónimo de pequenas guerras para assegurar nomes em listas, mas no PS/Porto afiança-se que “o processo está a ser muito pacífico” e que mesmo o facto de ter de haver lugares para independentes e centristas “não está a criar tensão”.

 

Moreira sem aprovação do PS

O próprio nome de Moreira não será alvo de qualquer deliberação dos órgãos socialistas. “Houve um mandato da comissão política concelhia para renovar o apoio. Não haverá a aprovação do nome porque se trata de uma candidatura independente”, esclarece a mesma fonte, justificando assim a ausência do nome de Rui Moreira da deliberação da distrital do PS/Porto desta segunda-feira, que ratificou 14 dos 18 candidatos do distrito, mas não se refere ao concelho do Porto.

Quanto ao programa para o Porto, também está nas mãos de Rui Moreira. “Revemo-nos no que foi feito e o que está previsto é uma continuidade”, afirma fonte do PS/Porto, dando como exemplos “a valorização da dimensão económica da cidade, a aposta na cultura e o que tem sido feito na habitação e na ação social.”

Ao i, o líder da concelhia do PS/Porto, Tiago Barbosa Ribeiro, limita-se a afirmar que “o princípio de acordo em relação à candidatura tem que ver com uma visão da cidade”, recusando a ideia de compromissos sobre nomes para lugares na câmara, na assembleia municipal ou nas juntas de freguesia.

 

Eurodeputado desmentido

De resto, Tiago Barbosa Ribeiro repudia por completo as declarações do eurodeputado socialista Manuel dos Santos ao i de ontem, segundo as quais António Costa teria prometido a Rui Moreira um lugar de ministro ou nas listas para as europeias para garantir que Manuel Pizarro seria o próximo presidente da Câmara do Porto.

“Na ausência de outra atividade relevante conhecida, e nos intervalos de entrevistas em que já dirigiu impropérios a mim e a outros dirigentes, o eurodeputado socialista Manuel dos Santos decidiu fazer prova de vida a propósito do Porto em termos que, ao desqualificá-lo, qualificam-no bem. Fê-lo mentindo. Repito: mentindo”, escreveu ontem Barbosa Ribeiro na sua página do Facebook.

“São declarações de teor muito grave, falso e difamatório”, acrescenta ao i fonte oficial do gabinete de Rui Moreira.