Economia

Millennials optam pelo arrendamento e querem imóveis até 600 euros

Nem sempre a oferta se ajusta a essas necessidades e muitos dos jovens são “obrigados” a dividir casa de forma a partilharem a despesa

Mais de 65% da geração Millennials – que integra indivíduos entre os 17 e os 37 anos – preferem o arrendamento e apenas 34,4% optam pela aquisição de imóveis. Cerca de 78% destes jovens optam por arrendamentos até 600 euros e apenas 19,5% realizam arrendamentos entre os 600 e os mil euros. A conclusão é de um estudo realizado pela Century 21 que analisou as tendências dos millennials portugueses relativamente às suas opções de habitação, para perceber como esta nova geração de consumidores está a influenciar o mercado imobiliário.

O certo é que nem sempre a oferta dá resposta a esta procura. “O turismo, com o alojamento local, contribuiu para fazer disparar os preços das casas nos grandes centros da cidade e muitos dos jovens ou têm de optar por zonas da periferia ou arrendam nos grandes centros, mas dividem com outros jovens para equilibrar o preço”, alerta o CEO da mediadora, Ricardo Sousa.

A verdade é que este segmento está a ter cada vez maior peso na atividade das mediadoras. Na Century 21, 45,3% das agências da marca afirmam que os millennials representam já entre 10 e 20% das transações globais imobiliárias e cerca de 22,7 % das lojas referem que este segmento de consumidores já supera 20% das suas operações. E a tendência é para estabilizar, garantiu ao i o CEO da mediadora.

Já quando questionadas sobre o valor médio das transações de venda de imóveis realizados pelos millennials, 50% das lojas da marca referem que estes se situam abaixo dos 100 mil euros e 46,9% da rede Century 21 Portugal regista valores médios de venda de imóveis entre os 100 mil e os 200 mil euros, neste segmento de consumidores.

Elementos a ter em conta

As casas em segunda mão surgem com 54,7% das preferências junto deste segmento, os imóveis reabilitados com 32,8%, as habitações novas registam 28% das opções de escolha e as casas já mobiladas cerca de 24%.

Quanto aos critérios de localização, mais de 61% dos millennials preferem habitar nos centros urbanos, quase 40% referem ainda que querem viver perto do local de trabalho e 31,3% dos jovens procuram zonas residenciais.

As acessibilidades e os transportes públicos são os serviços mais valorizados pelos millennials na procura de imóveis, ao registarem mais de 70% das preferências. A proximidade de supermercados e centros comerciais surge em segundo lugar das preferências, ao registar 35,9% de valorização. As infraestruturas de lazer e desporto são apontadas em 32% das respostas e a proximidade de escolas é privilegiada em cerca de 30%.

Mas os critérios de procura não ficam por aqui. “Como esta geração se caracteriza por uma maior consciência ambiental, esta tendência influencia também o mercado imobiliário, dado que 67,2% dos millennials afirmam procurar imóveis com sistemas que permitam maior poupança energética, quer para soluções de aquisição, quer de arrendamento”, salienta o gestor.

Acesso à informação

Como este segmento dá mais importância às novas tecnologias de informação, a própria mediadora viu-se obrigada a adaptar a sua forma de trabalho, uma vez que “esta geração está a marcar novas tendências na procura de soluções de habitação e a implicar novas dinâmicas de interação nos profissionais do setor”. Daí a Century 21 ter começado a incorporar tecnologias inovadoras no seu modelo de negócio, para desenvolver ferramentas e sistemas que apoiem os colaboradores da rede no contacto e na comunicação com os consumidores nos meios digitais.

No site nacional da marca são integrados todos os imóveis da rede para venda, compra ou arrendamento no mercado português. “Através de um sistema de pesquisa inteligente, é possível selecionar as propriedades com as características pretendidas por cada utilizador, bem como encontrar toda a informação sobre os serviços e infraestruturas existentes na proximidade da casa, para facultar um contexto completo da envolvente de cada imóvel”, diz Ricardo Sousa, acrescentando ainda que “esta plataforma digital agrega toda a informação e sistemas tecnológicos da marca e permite também que os colaboradores da rede insiram as suas páginas personalizadas.”

Todos os consultores imobiliários Century 21 Portugal têm um site pessoal – MySite C21 – que lhes permite divulgar os seus imóveis em carteira, promover as suas zonas de intervenção e aumentar o envolvimento com os seus clientes. Atualmente, a rede tem mais de 1500 sites customizados por consultor.