Economia

Senhorios preferem arrendar por pouco tempo

Sabe qual é o valor médio de arrendamento de um quarto em Lisboa?

Os senhorios preferem arrendar as suas casas por períodos inferiores a um ano. Esta é uma das conclusões do estudo da Uniplaces, plataforma online para alojamento de estudantes universitários, e que contou com a participação de 400 inquiridos que praticam diversos tipos de arrendamento, a curto, médio e longo prazo.

A principal conclusão do inquérito prende-se com a duração preferencial de cada contrato de arrendamento: 88% dos inquiridos afirma preferir que as suas propriedades sejam arrendadas por períodos inferiores a um ano. Apenas 12% dos respondentes afirmou ter preferência pelo arrendamento por períodos mais longos. 35% dos respondentes salienta ainda que o período preferencial se situa entre os 6 meses e um ano.

Os resultados do estudo mostram também que mais de metade (60%) dos senhorios, conta apenas com uma propriedade para arrendamento, com apenas 2% dos inquiridos a afirmar ter mais de 15 casas para locação. Quando questionados sobre a forma como preferem arrendar a sua propriedade, 56% dos inquiridos afirma preferir arrendar por quarto, a vários inquilinos em simultâneo.

«Os resultados deste estudo, que inclui tanto utilizadores da Uniplaces como senhorios que utilizam outras plataformas, mostram que os proprietários de imóveis têm preferência pelos estudantes, por se tratar de um tipo arrendamento mais seguro e cómodo, quando comparado por exemplo com o arrendamento à semana a turistas que envolve maiores encargos burocráticos e de logística», revela André Rodrigues Pereira, Country Manager da Uniplaces em Portugal.

O responsável diz ainda que já existe no mercado a perceção no mercado de que arrendar a estudantes é uma opção «muito viável, segura, cómoda e em crescimento».

Quando questionados sobre qual o motivo para a preferência sobre o arrendamento a estudantes, 59% afirma que é «por ficarem por períodos curtos, permitindo utilizar a propriedade de uma forma mais flexível», aliada à «enorme procura que permite arrendar de forma mais rápida». Já 37% dos inquiridos salienta também que se deve à maior rentabilidade que este tipo de arrendamento tem face a outro tipo de inquilinos.

Devido à sazonalidade da procura por parte dos estudantes, 41% dos inquiridos afirma combinar ambos os tipos de arrendamento (alojamento local e a estudantes) para otimizar a taxa de ocupação.

No que que diz respeito à legislação, quando questionados sobre a legislação aplicada ao alojamento local/turismo, metade dos inquiridos refere ser necessária a existência de regulamentação para que todos paguem os devidos impostos, e 28% afirma que «qualquer proprietário deveria ter a possibilidade de arrendar a sua propriedade à sua maneira».

De acordo com a plataforma, os anúncios de arrendamento para estudantes em Portugal cresceram 33% no ano passado e, em média, subiram 5% por mês. A Uniplaces está a gerar semanalmente cerca de um milhão de euros em arrendamentos «com um pico interessante a decorrer no mês de agosto», revela a empresa.

Em Lisboa, o valor médio de arrendamento de um quarto fixa-se em 338 euros mensais e sobe para 600 euros se se tratar de um estúdio. No Porto, os valores descem um pouco: os quartos custam em média 300 euros e os estúdios 510 euros. Em termos de reservas, estas duram, em média, seis meses em Lisboa e cinco meses no Norte.