Desporto

Lotação esgotada para meias-finais e finais do Estoril Open

“Acho que desta vez vai ser muito arriscado para o público deixar a compra de bilhetes para a última hora. Nesta altura estou em posição de confirmar que atingimos a lotação máxima para o fim-de-semana decisivo do torneio”, afirmou João Zilhão

O sexto dia anterior ao arranque da terceira edição do Millennium Estoril Open – que se realiza entre 29 de Abril e 7 de Maio, novamente no Clube de Ténis do Estoril – foi pautado pela conclusão do Cascais NextGen Tour e pelo anúncio de que a lotação para as jornadas das meias-finais (6 de Maio) e das finais (7 de Maio) do maior evento tenístico português está esgotada.

Relativamente ao Cascais NextGen Tour, o seu epílogo não poderia ter corrido da melhor maneira para as cores nacionais. Após os três anteriores eventos (realizados no Lisboa Racket Centre, no Quinta da Marinha Racket Club e no Clube de Ténis do Porto), a quarta e derradeira prova do circuito de torneios de 15.000 dólares pontuáveis para o ranking mundial teve uma palmarés 100 por cento nacional – com Frederico Gil e Felipe Cunha e Silva a arrecadarem o título de pares no dia de ontem e João Domingues a impor-se por 6-3 e 6-1 na final individual de hoje diante do francês Maxime Chazal. Tendo por prémio suplementar um wild card para o qualifying do Millennium Estoril Open.

“Foi bom ter ganho, depois de ter perdido consecutivamente as três última finais que joguei, incluindo duas no Cascais NextGen Tour”, referiu o tenista de Oliveira de Azeméis. “Quanto ao wild card, é sem dúvida um orgulho jogar o Millennium Estoril Open, pois é o maior evento desportivo em Portugal e para mim é o melhor torneio. Se me perguntassem qual o torneio que mais gostaria de ganhar eu diria Millennium Estoril Open, sem dúvida”, comentou.

A 3LOVE, entidade promotora do Millennium Estoril Open, organizou os quatro eventos congregados num circuito (denominado Road to Millennium Estoril Open) com um ranking paralelo destinado a determinar quais os melhores representantes lusos no cômputo das várias provas jogadas – tendo como motivação suplementar um convite para a fase de qualificação do maior evento tenístico nacional. E, no decurso do quarto e último torneio, João Domingues garantiu matematicamente esse wild card à frente de João Monteiro, confirmado tenisticamente com uma convincente prestação no mesmo court central do Carcavelos Ténis onde ele já se havia sagrado campeão nacional de juniores no início da presente década.

“O Cascais NextGen Tour permite a jogadores mais novos ganhar títulos e melhorar os seus rankings, em Portugal. Não há melhor rampa de lançamento. Promovemos o desporto, o profissionalismo, os portugueses e oportunidades para os talentos mais novos se desenvolverem”, referiu Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais e responsável pela entrega do troféu de vencedor a João Domingues.

João Zilhão, diretor do Millennium Estoril Open, acrescentou: “Com estes quatro Futures prolongámos o Millennium Estoril Open no espaço e no tempo, dando-lhe amplitude geográfica em quatro excelentes clubes, ao longo de um mês. O João provou ser o melhor representante nacional, mesmo que não tenha jogado um dos torneios por estar ao serviço da seleção nacional da Taça Davis, e o título de hoje no Carcavelos Ténis foi a cereja no topo do bolo após duas finais perdidas no Lisboa Racket Centre e no Clube de Ténis do Porto. Considero que este circuito, que teve o apoio inestimável da Câmara Municipal de Cascais e da Federação Portuguesa de Ténis, se revelou um projeto ganhador e procuraremos implementá-lo de novo no próximo ano. O vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais ficou agradavelmente surpreendido e deixou transparecer que gostaria que o Cascais NextGen Tour continuasse no futuro”.

BILHETEIRA COM VENDAS A RITMO ACELERADO O diretor do Millennium Estoril Open aproveitou o rescaldo do Cascais NextGen Tour para revelar que há duas sessões do torneio que já estão com a lotação esgotada e há várias outras perto de registarem igualmente casa cheia.

“Acho que desta vez vai ser muito arriscado para o público deixar a compra de bilhetes para a última hora. Nesta altura estou em posição de confirmar que atingimos a lotação máxima para o fim-de-semana decisivo do torneio”, afirma João Zilhão. “Já não há bilhetes para sábado dia 6 nem para domingo dia 7. As duas jornadas do qualifying, no fim-de-semana de 29 e 30 de Abril, também já estão muito perto de esgotar. E várias outras sessões também não andam longe disso”.