Internacional

Marine Le Pen afirma que a sobrevivência da França está em perigo

Perante o entusiasmo dos seus apoiantes, a candidata da extrema-direita afirma que finalmente os verdadeiros temas da campanha vão poder ser falados e os eleitores podem escolher entre a França e a globalização

No seu quartel-general desta noite, a 200 quilómetros de Paris, Marine Le Pen, fez o seu discurso: “O sistema tentou por todos os meios a impedir o grande debate político que deveria ter havido nesta eleição. O grande debate vai agora ter lugar. Os franceses devem aproveitar esta oportunidade unica, porque a mundialização selvagem colocar em perigo a nossa civilização”, declarou a candidata de extrema-direita, que acrescentou: “Ou nós continuamos sobre a via de uma desregulamentação total, das deslocalizações, da imigração em massa, da livre circulação dos terroristas, do reino do dinheiro-rei. Ou escolhemos a França e as fronteiras que protegem a nossa identidade”, defendeu.

Concluindo que é preciso uma “verdadeira alternativa”, que mude “as caras no poder”. “Eu sou a candidata de povo. Patriotas sinceros  estão em jogos os interesses superiores do país, está em jogo a sobrevivência da França”, alertou a candidata, que depois de reivindicar o povo, reivindicou De Gaulle, cintando-o na tirada final: “a grandeza de um povo não procede senão desse povo”.

Um discurso calculado e com uma certa ironia, tentando apropriar-se do discurso anti-globalização da esquerda e do referente históricos da direita tradicional francesa, dos Republicanos.