UE

Taxa de Emprego em novo máximo

A taxa de emprego na União Europeia atingiu em 2016 um novo máximo de 71,1%

A taxa de emprego da população com idades entre os 20 e 64 anos na União Europeia (UE) atingiu em 2016 um novo máximo de 71,1%, tendo Portugal registado uma subida para os 70,6%, valor que coloca o país no nono lugar da zona euro.

O Eurostat revela que taxa de emprego na EU subiu 1% face a 2015 (70,1%) e superou o anterior máximo, que datava do período anterior à crise económica e financeira, 2008 (70,3%).Os dados do gabinete oficial de estatísticas aponta sete países já atingiram o objetivo para 2020.

A "Estratégia Europa 2020" fixa uma meta global para o conjunto da UE de se alcançar uma taxa de emprego na UE de pelo menos 75%. Os objetivos de cada estado-membro variam em função da atual situação e vão desde os 62,9% na Croácia e os 80% na Suécia, Holanda e Dinamarca.

Portugal, que tem como meta uma taxa de emprego de pelo menos 75%, aproximou-se do objetivo ao subir 1,5% - de 69,1% em 2015 para 70,6% em 2016. O número coloca o país como o nono melhor entre os 19 países que partilham a moeda única.

De acordo com os dados do Eurostat, os países com taxas de emprego mais elevadas no ano passado eram a Suécia (81,2%), Alemanha (78,7%), Reino Unido (77,6%), Dinamarca (77,4%), Holanda (77,1%), República Checa (76,7%), Estónia (76,6%) e Lituânia (75,2%).

As taxas de emprego mais baixo são as da Grécia (56,2%), Croácia (61,4%), Itália (61,6%) e Espanha (63,9%).