Desporto

As taças de todas as oportunidades... para alguns

O AEK eliminou o Olympiacos com a baliza entregue a Hugo Almeida nos instantes finais

Esta quarta-feira foi sinónimo de decisões na Taça um pouco por toda a Europa, ficando-se a conhecer vários finalistas. Um dos quais, o AEK de Atenas, que cometeu a proeza de afastar o Olympiacos, ainda há dias consagrado campeão grego pelo sétimo ano consecutivo. E ontem até conseguiu vencer, por 1-0: o problema foi a derrota em casa na primeira mão (1-2). Só por si, este cenário já seria de realçar - embora o AEK já tenha batido o Olympiacos na final desta competição na época passada -, mas há mais: é que o AEK acabou com... Hugo Almeida na baliza.

Sim, esse mesmo: o internacional português de 32 anos, mais conhecido pela habilidade em desfeitear guardiões adversários. Desta vez, acabou com as luvas calçadas, jogando a guarda-redes nos últimos instantes da partida, depois do titular Anestis ter sido expulso aos 90’+5’ com dois amarelos consecutivos por retardar a marcação de um pontapé de baliza. O Olympiacos, com os portugueses Diogo Figueiras e André Martins em campo - além do ex-benfiquista Oscar Cardozo, lançado aos 58’ -, ainda rondou a baliza agora à guarda de Hugo Almeida, mas a defesa resolveu, evitando calafrios para o improvisado guardião. O AEK, que contou também com André Simões em campo os 90’, espera agora pelo vencedor do embate entre Panathinaikos e PAOK para saber contra quem irá defender o troféu.

 

Jardim disse adeus à final Também apurado para a final, mas da Taça da Ucrânia, está o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca, fruto do triunfo caseiro sobre o Dnipro: 1-0, com golo do internacional brasileiro Taison (66’). No encontro decisivo, terá pela frente o rival Dínamo Kiev, de Antunes, que bateu o MFK Mikolaiv por 4-0. Na iminência de vencer o primeiro campeonato da sua carreira, o treinador português pode assim conseguir também a dobradinha.

Fora dessa corrida está o Mónaco. Como Leonardo Jardim havia prometido, o conjunto do Principado apresentou-se no terreno do Paris Saint-Germain com uma equipa de recurso, recheada de jovens da equipa B, e acabou por pagar a fatura de forma pesada: foi derrotado por 5-0. O PSG irá assim defrontar o surpreendente Angers na final da prova.

Também Carlo Ancelotti viu hipotecado de forma definitiva o objetivo da dobradinha: o Bayern Munique perdeu em casa por 3-2 com o Borussia Dortmund, que assim ganhou o direito a discutir a conquista da Taça alemã com o Eintracht Frankfurt. Raphael Guerreiro foi titular no meio-campo do terceiro classificado da Bundesliga, enquanto Renato Sanches nem sequer se sentou no banco dos bávaros.

 

André Gomes calou críticos Nem só de Taça, porém, se fez esta quarta-feira de futebol. As Ligas espanhola e inglesa não pararam e trouxeram alguns cenários inesperados. Desde logo, o “show” de André Gomes: criticado praticamente durante toda a temporada, o internacional português teve desta feita a confiança de Luis Enrique para jogar de início e respondeu com um bis, o primeiro da carreira, na goleada (7-1) ao Osasuna, último classificado de La Liga. E não foi o único: Messi, pois claro, mas também Paco Alcácer conseguiram igual proeza. E até deu para Mascherano fazer, de penálti, o primeiro golo em 319 jogos com a camisola blaugrana.

Ao triunfo categórico do Barça seguiu-se o do Real Madrid na Corunha, mesmo sem Cristiano Ronaldo, poupado por Zidane. Realce ainda para Nani, que voltou aos golos, marcando de penálti na derrota caseira do Valência perante a Real Sociedad (2-3). Cancelo também esteve em destaque, assistindo Zaza para o segundo golo dos ché.

Em Inglaterra, o Tottenham mostrou que continua vivo na luta pelo título: custou, mas venceu no terreno do Crystal Palace por 1-0, com Eriksen a fazer o tento decisivo aos 78’. Os Spurs continuam assim a quatro pontos do Chelsea. Também o Arsenal suou muito para bater o Leicester: só um auto-golo de Huth a quatro minutos dos 90 desbloqueou o resultado. Os Gunners permanecem na peugada do Manchester United de José Mourinho.