Vida

A miúda faz dois anos e a mãe tirou-lhe uma fotografia

Charlotte faz hoje dois anos. A mãe Kate tirou-lhe uma foto na casa de campo de Norfolk

“O duque e a duquesa de Cambridge estão encantados por partilhar uma nova fotografia da princesa Charlotte para assinalar o seu segundo aniversário. A fotografia foi tirada em abril pela duquesa na sua casa em Norfolk”. O comunicado da família Cambridge é evidentemente mais interessante quando lido em inglês – como é possível traduzir “delighted”? Encantado não é a mesma coisa – mas mostra a política continuidade da família de William: proximidade, proximidade, proximidade. Claramente, William saiu à mãe e não só nos traços fisionómicos. Enquanto Diana era “a princesa do povo” (o cognome foi-lhe atribuído por Tony Blair nos dias seguintes à sua morte), Carlos mantém-se um Windsor dos quatro costados – distante e sem arroubos populares.

A distribuição de fotografias familiares tiradas na casa de campo de Norfolk (onde vivem os príncipes que em breve se vão mudar para Londres, já que George, o filho mais velho, entra para a escola) tem sido uma constante já desde o nascimento de George. Todos os anos, para comemorar o aniversário das crianças, os duques distribuem ao povo uma fotografia “doméstica”, tirada pelo pai, pela mãe ou pela avó. A avó plebeia, evidentemente, Carole Middleton, não a Rainha de Inglaterra.

Os ingleses adoraram ver a princesa Charlotte, que faz hoje dois anos, de casaquinho de malha amarelo. Às manifestações de júbilo nas redes sociais, Twitter e Facebook, a Casa Real respondeu no Twitter: “Suas Altezas Reais gostariam de agradecer a todos por todas as carinhosas mensagens que receberam. E esperam que toda a gente goste desta fotografia da princesa Charlotte tanto como eles gostaram”.

Charlotte Elizabeth Diana nasceu a 2 de maio de 2015. O nome escolhido para a primeira filha de William e Kate homenageia três antecessores: o herdeiro do trono Carlos (Charlotte é a versão feminino), a rainha Isabel II (bisavó da criança) e Diana, a mãe de William que morreu quando ele tinha apenas 15 anos.

No ano passado, no primeiro aniversário de Charlotte, os pais divulgaram quatro fotos. Dessa vez, tinha sido William o fotógrafo da filha. Os casacos de malha, dessa vez, eram em branco e cor-de-rosa – estamos em maio, mas a Inglaterra é outra coisa.

“Heads Together” Recentemente, Catherine deu uma conferência sobre a maternidade onde, ao contrário das fotografias onde aparece sempre em tons de cor-de-rosa, mostrou o lado mais duro da maternidade. Foi em dois momentos: primeiro, uma conferência em Londres; depois um vídeo em que Kate, William e Harry falaram de saúde mental. Harry falou da forma como lidou com a morte da mãe (que aconteceu quando ele tinha apenas 12 anos), preferindo não pensar no assunto, o que o levou a ter que recorrer a psicoterapia muitos anos mais tarde.

Kate e William falaram sobre as dificuldades da maternidade e da parentalidade. “Lembro-me dos primeiros dias com o pequeno George. Não se tem ideia do que se está a fazer. Não interessa a quantidade de livros que se leu. Ninguém nos prepara para isso”, diz Kate no video que faz parte de uma campanha em defesa da saúde mental chamada “Heads Together”.

A participação de Harry na campanha pela saúde mental foi particularmente impressionante, porque o príncipe partilhou em entrevista a dificuldade de gerir a dor da morte da mãe – e como a “meteu para dentro”, o que lhe afectou anos mais tarde a saúde mental, obrigando-o a recorrer a ajuda médica.

Quando o vídeo com a entrevista do príncipe foi divulgado, o presidente do colégio de psiquiatria da Grã-Bretanha disse que Harry “tinha feito pela sensibilização para a saúde mental” com um vídeo do que ele em dezenas de anos de profissão.