Sociedade

Caso McCann. Chamadas suspeitas de Kate poderão ser a ponta solta que falta

Para Gonçalo Amaral, esta poderá ser a ponta solta que nunca foi esclarecida

Dez anos depois do desaparecimento Madeleine McCann, o antigo coordenador da Polícia Judiciária de Portimão, Gonçalo Amaral, revelou algumas pistas que nunca foram seguidas pela investigação.

De acordo com as suas palavras numa entrevista à CMTV, Kate McCann recebeu telefonemas suspeitos. Terão sido pelo menos duas as chamadas que a mãe da criança recebeu de um bar de Vilamoura através de um número fixo do estabelecimento que a mulher não terá conseguido explicar em tribunal quando foi interrogada.

Para Gonçalo Amaral, esta poderá ser a ponta solta que nunca foi esclarecida.

Todavia o mesmo continua a defender a hipótese de Maddie ter morrido acidentalmente na noite do desaparecimento, afirmando que o corpo da criança poderá ter sido escondido dentro de um caixão, onde já estava o cadáver de uma cidadã britânica e posteriormente cremado em Ferreira do Alentejo.

Gonçalo Amaral relembrou ainda que a reconstituição do caso nunca foi feita pela PJ.