Politica

PS vai apresentar candidato ao Porto

O PS vai ter um candidato próprio à Câmara do Porto. Manuel Pizarro é a hipótese mais forte.

A reunião da concelhia do PS Porto para analisar as consequências da crise com Rui Moreira acabou com a conclusão de que os socialistas devem apresentar uma candidatura própria.

"A concelhia do PS Porto vai à luta", afirmou ao i uma fonte da estrutura local, explicando que a discussão interna vai continuar hoje.

Os socialistas vão estar reunidos esta manhã para continuar "a analisar a situação política autárquica", estando previstas declarações à imprensa ao meio-dia.

O i sabe que Manuel Pizarro é a hipótese mais forte, apesar de o nome não estar ainda escolhido.

Ontem, Rui Moreira na entrevista à SIC deixou a porta a aberta a que o PS o continue a apoiar, apesar de ter deixado claro que não quer que fique no ar a ideia de uma "coligação informal".

Mas no PS a análise é a de que a situação atingiu um ponto de não retorno depois de Moreira ter confirmado as notícias de que prescindia do apoio socialista.

Como o SOL avança hoje, Carlos César chegou a ponderar ir ontem ao Porto falar com Rui Moreira para resolver a situação. Mas o presidente do PS decidiu que não valia a pena ir à Invicta, depois de ter passado para a comunicação social a decisão de ruptura que saiu da reunião do núcleo duro do autarca portuense na quinta-feira à noite.

A partir daí, o PS começou a perceber que ia ter de encontrar um candidato próprio.

Várias fontes ouvidas pelo i consideram que Manuel Pizarro é neste momento a possibilidade mais forte.

O problema é que Pizarro faz parte do executivo de Moreira e não tem forma de descolar desse legado para fazer uma campanha.

Tanto assim que ontem Rui Moreira anunciava estar a ponderar convidar Pizarro para a sua lista, independentemente do apoio do PS, não pelo seu cartão partidário mas pelo seu "desempenho" como vereador.

Os críticos de Pizarro lembram, porém, que o presidente da Federação do PS Porto teve em 2013 o resultado mais baixo de sempre registado pelos socialistas naquela cidade, na casa dos 20%.