Opiniao

Dia da Mãe ou da nossa mais que tudo…

Podia escrever longas linhas sobre a minha e como ela é a melhor do mundo, mas a verdade é que nesta página é suposto pensar nos temas de um ponto de vista um bocadinho diferente.

Assim, olho para este dia e para a oportunidade gigante que as marcas têm nestas ocasiões.

É demasiado óbvia a vantagem que existe aqui: dia especial pede prenda especial, logo há um grande potencial de aumento de vendas, que é tudo o que qualquer marca quer.

Mas esta oportunidade não é consensual. Há quem ache que se está a comercializar em demasia um dia que devia ser de celebração da família, de convívio e partilha, e não tanto de consumo. Mas é aqui que as marcas podem fazer a diferença.

Trabalhar bem o dia da mãe é garantir que o emocional ultrapassa completamente o racional, criando uma vontade e necessidade de escolher o melhor presente para a nossa mais que tudo. Não é por acaso que algumas das melhores campanhas são lançadas nestes dias especiais (mãe e não só) construindo histórias envolventes, universos próximos e emoções tão reais como as que diariamente vivemos enquanto mães e filhos.

É esta capacidade de envolver que garante que além da marca trabalhar um dia que é pico de consumo, está também a trabalhar a marca como um todo, posicionando-a no share of heart mais valioso que pode existir: o dos nossos grandes amores. Ter esta capacidade garante que a marca vê além do momento comercial e conquista aqui fãs leais, que se reveem na história que nos contam

Quase todas as marcas aproveitam este momento para comunicar mas marcas como Pandora, Tous, Dove, Apple, entre muitas outras são exímias em desenvolver peças únicas nestes dias.

Mas o exemplo, para mim, mais paradigmático de toda esta emoção é sem dúvida a comunicação da Procter and Gamble com as suas inúmeras peças ‘Thank you Mom’, em que associamos o universo das mães ao mundo dos Jogos Olímpicos e à capacidade que só as mães têm ( e aqui os pais que me desculpem, mas puxo a brasa à minha sardinha) de criar verdadeiros ‘campeões’.

Os filmes são ternurentos, comovedores e com uma mensagem super forte, onde se traduz tudo o que é ser mãe, num apoio constante e às vezes até heroico aos nossos filhos. E deste emocional, conseguimos uma associação perfeita ao mundo de produtos Procter que funcionalmente fazem parte do dia-a-dia das mães. É nesta conjugação que a marca se assume como ‘orgulhosa patrocinadora das mães’, construindo uma história única e coerente.

Toda esta comunicação é ainda potenciada e agregada com o #becauseofmom, onde se reúnem tantas e tantas histórias que só acontecem por causa das mães e onde se concretiza este gancho que a marca agarrou, o de patrocinar e se focar nas mães.

No fundo, o Dia da Mãe e as estratégias de marketing implementadas nestas alturas são a inspiração perfeita para ao longo do ano construirmos a nossa marca. Sempre num equilíbrio perfeito entre emoção e função, sempre envolvendo e levando à compra, sempre acrescentando algo à marca, sempre contribuindo para um património relevante.

Assim, neste dia, homenageio todas as mães e, seguindo o exemplo da Procter, agradeço à minha tudo o que fez e faz todos os dias por mim, daquilo que é visível para todos àquilo que só eu vejo.

Agora não se esqueça de agradecer também à sua.

Diretora Criativa Havas Sports& Entertainment