Sociedade

Problemas na gravidez são a principal causa de morte de raparigas em todo mundo

Segundo a OMS, as complicações da gravidez são a principal causa de morte global entre as mulheres com idades entre os 15 e os 19 anos. A auto-mutilação é a segunda maior causa de morte.

Mais de 1,2 milhão de adolescentes do sexo feminino e masculino morrem anualmente, segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) - a maioria é de causas evitáveis, incluindo problemas de saúde mental, má nutrição, problemas de saúde reprodutiva e violência.

Segundo o jornal britânico "The Guardian", os autores disseram que a incapacidade de lidar com a saúde de crianças entre os 10 e os 19 anos de idade pode prejudicar as melhorias alcançadas na saúde materna e infantil em todo o mundo, ressaltando que muitas vezes a saúde dos adolescentes foi negligenciada.

"Ao investir na saúde dos adolescentes, obtém-se um benefício triplo porque agora há um adolescente mais saudável, que se tornará num adulto mais saudável e mais produtivo no futuro próximo que, se vierem a ter filhos, tornar-se-ão também pais mais saudável", disse David Ross, principal autor do estudo ao Guardian. "Se existe um pai saudável, isso reflete-se depois numa criança saudável."

A OMS analisou as causas de morte de crianças de 10 a 19 anos em 2015. Nesse ano, globalmente, as lesões na estrada foram as que provocaram mais mortos, causando 115.300 vítimas.

As Infecções respiratórias inferiores, como a pneumonia,  a auto-mutilação, as doenças diarreicas e os afogamentos são as causas de morte mais frequentes que se seguem.

Houve diferenças consideráveis ​​quando os resultados foram compartimentados por sexo e idade. Para as raparigas com idades compreendidas entre os 10 e os 14 anos, a principal causa de morte foram as infecções respiratórias inferiores, mas os maiores problemas para as raparigas com idades compreendidas entre os 15 e os 19 anos foram as condições maternas, incluindo hemorragia, complicações do aborto inseguro e parto obstruído. Estas ocorrências levaram a 10,1 mortes por cada 100.000 indivíduos.

Para os rapazess em ambos os grupos etários, a principal causa de morte foi lesão por acidentes rodoviários, com afogamento sendo a segunda causa principal para a faixa etária mais jovem e a violência em segundo lugar para meninos de 15-19 anos.

Para os adolescentes, tanto masculinos como femininos, a auto-mutilação estava entre as cinco principais causas de morte, resultando em 5,6 mortes de adolescentes por 100.000 indivíduos. "Muitas pessoas pensam que não há muito que se possa fazer sobre suicídio e auto-agressão. Estão errados ", disse Ross ao diário britânico.

Os autores observaram que 45% das mortes de adolescentes ocorreram em países de baixos e médios rendimentos em África e 26% em países similares no sudeste da Ásia.

As principais causas de morte entre 10 a 19 anos de idade variaram em todo o mundo, com anomalias congênitas e leucemia nos cinco primeiros países com salários elevados.

Para além de assinalar as principais causas de morte e de má saúde entre os 10 e os 19 anos, os autores apresentam uma panóplia de possíveis intervenções dirigidas a decisores políticos, educadores e investigadores, entre outros.

"Os adolescentes têm necessidades de saúde específicas relacionadas ao seu rápido desenvolvimento físico, sexual, social e emocional e ao papel específico que desempenham nas sociedades", escreveram os autores. "Tratá-los como crianças velhas ou jovens adultos não funciona."

Os autores destacaram a necessidade de os adolescentes serem envolvidos na formulação de políticas públicas, assim como destacam a necessidade de serviços e programas de saúde sexual e reprodutiva, adaptados aos adolescentes para ajuda-los a controlar seu comportamento para reduzir a violência.