Internacional

“Vi várias pessoas feridas e cheias de sangue, aos gritos”

O SOL falou com várias pessoas que estiveram no interior do Manchester Arena e que assistiram às explosões no final do concerto de Ariana Grande. Essas explosões resultaram em 22 mortos e cerca de 59 feridos.

Vinicius Augusto, luso-brasileiro, trabalha há três anos no Manchester Arena e assistiu a tudo. Conta que viveu momentos de horror, por ele, mas também por ver tantos menores assustados e feridos. “As explosões aconteceram alguns minutos antes de as pessoas começarem a sair, o concerto já tinha acabado”.

“O som da explosão parecia realmente ter sido de um equipamento de som mas como surgiu no meio das bancadas, apercebemo-nos logo que não era problema de nenhum equipamento. Logo depois, vi várias pessoas feridas e cheias de sangue, aos gritos e a atropelarem toda a gente para saírem do Arena o mais rápido que conseguissem”.

Visivelmente emocionado, o luso-brasileiro, conta que há uma imagem que não vai esquecer nunca. “Uma mãe com o pescoço todo ensanguentado, com dificuldades em respirar, com a filha ao colo… Essa senhora foi das primeiras pessoas a receber tratamento nas ambulâncias, que eu tenha visto”.

Em jeito de reflexão, Vinicius Augusto, acredita que todos os que lá estiveram “nasceram de novo e voltaram para suas casas refletindo sobre o que tinha acontecido… Não podemos ter medo… Mas temos”.

Beth Louise, de 23 anos, tinha ido ao concerto da Ariana Grande com duas amigas e no final do concerto ouviram duas explosões e contam que viveram momentos de horror. "Ouvimos duas explosões, começámos a correr... Estou em choque".

"Pensámos que seria balões a rebentar ou efeitos sonoros mas depois começámos a ver as pessoas a atropelarem-se todas umas às outras e começámos a fazer o mesmo, em pânico e com medo. Muitos gritos, muitas crianças ensanguentadas".

A mesma fonte conta ainda que a saída do recinto foi caótica porque "estavámos todos a tentar sair pelo mesmo sítio, muitos gritos e muita confusão. Quando finalmente saímos para a rua foi um alívio, viemos a correr para casa".

O incidente está a ser tratado como um atentado terrorista fez um total de 22 mortos e 59 feridos.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse esta terça-feira, que as autoridades já conhecem a identidade do autor do ataque ocorrido na Manchester Arena, após um concerto da artista Ariana Grande.