Internacional

Brasília. Temer recua e retira exército das ruas

Presidente do Brasil revogou hoje o decreto que autorizou o destacamento de 1500 soldados para manter a ordem nas ruas da capital

Michel Temer decidiu voltar atrás na decisão de colocar as Forças Armadas nas ruas de Brasília e revogou o decreto assinado ontem, numa altura em que mais de 35 mil pessoas ameaçavam invadir diversos ministérios.

O destacamento de 1500 soldados foi muito criticado na Câmara dos Deputados e no Senado brasileiro, particularmente junto das forças políticas que apoiam o governo do PMDB. 

O ministro da Defesa, Raul Jungman, voltou hoje a insistir que a responsabilidade do pedido de ajuda ao exército ao presidente da câmara baixa do Congresso, Rodrigo Maia – do DEM, um partido aliado do executivo – mas este recusa carregar com esse fardo e aponta o dedo a Temer. “Quero deixar claro que o meu pedido ao governo foi das forças nacionais, do apoio da Força Nacional. A decisão tomada pelo governo certamente tem relação com aquilo que o governo entendeu relevante para garantir a segurança”, garantia ontem Maia, citado pela Carta Capital.

A manifestação de ontem, na zona da Esplanada dos Ministérios de Brasília resultou em confrontos com a polícia, ministérios vandalizados, perto de 50 feridos e várias detenções.