Rússia

Maior leilão de sempre para produção de renováveis

Moscovo lançou ontem um leilão de licenças para energia renovável. A inciativa é maior de sempre na Rússia e tem como objetivo instalar 1,9 gigawatt (GW) de produção  até 2021.

De acordo com o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Renovável,  Adnan Amin, o desenvolvimento destas fontes de energia naquele país "pode contribuir significativamente para os objectivos económicos do país como o crescimento e a criação de emprego”.

O leilão, em duas fases e a decorrer até 9 de junho, já terá conseguido atrair o interesse da maior empresa finlandesa de energia, a Fortum Oyj, bem como da energética italiana Enel.

Entre 2012 e 2014 o governo russo condicionou a introdução de equipamentos de produção de energia renovável à incorporação de mão-de-obra e materiais produzidos na Rússia.

O problema, revela a agência de notícias Bloomberg,  é que ao país faltam empresas que produzem em território russo turbinas para aerogeradores de produção de energia eólica

A empresa pública Rosatom Corp. revlou há pouco tempo que  vai reconverter algumas das suas fábricas para a produção de turbinas. A reconversão será feita em com os maiores fabricantes mundiais  como a Siemens AG, a General Electric e a Vestas Wind Systems.

Além da Rússia, um dos maiores produtores de petróleo do mundo, outros países produtores de crude, como os Emirados Árabes Unidos ou a Arábia Saudita, também se estão a redirecionar para a produção de energia renovável.