Economia

Stiglitz e o euro: "Os números são tratados como se tivessem sido criados por Deus"

Economista norte-americano foi homenageado nas Conferências do Estoril

O Nobel da Economia Joseph Stiglitz esteve esta terça-feira nas Conferências do Estoril, onde recebeu o prémio Distinguished Book Prize, entregue pelo Diretor do i e do SOL, Mário Ramires, e o diretor da Nova School of Business and Economics, Daniel Traça, pelo livro "O euro e a sua ameaça ao futuro da Europa".

Durante o seu discurso, Stiglitz apontou o dedo à Zona Euro, afirmando que a sua estrutura é a causa dos problemas que os países que aderiram à moeda única enfrentam. “Será que o problema resulta das políticas dos líderes europeus, das políticas dos países? Essa ideia está errada. O problema está a estrutura da própria Zona Euro”, defendeu o economista norte-americano.

“O euro criou um sistema divergente, onde os ricos ficam mais ricos e os pobres mais pobres”, acrescentou o vencedor do Prémio Nobel.

Stiglitz disse ainda que as regras europeias "foram desenhadas para restringir o Governo, limitar défices, limitar dívidas e limitar a política monetária", mas que os números impostos foram criados por seres humanos e, consequentemente, são falíveis. “Esses números são tratados como se tivessem sido dados por Deus, como se fosse uma violação das leis básicas da natureza quebrar essas regras”, acrescentou.