Sociedade

Vamos brincar aos chefes?

A Escola de Culinária Bom Petisco, na Kidzania, ensina as crianças a cozinhar com alimentos saudáveis e a respeitarem as regras de higiene, assim como se faz num estabelecimento verdadeiro. A ideia de chegar a um público mais novo foi posta em prática em 2009. Por dia, este parque temático no centro comercial Dolce Vita Tejo chega a receber mil visitantes nas muitas excursões organizadas pelas escolas

São 11h30 de uma sexta-feira e a Kidzania está cheia de crianças. As filas duram pouco tempo: neste parque temático no centro comercial Dolce Vita Tejo, nos subúrbios de Lisboa, está tudo organizado para que todos encontrem depressa alguma coisa para fazer. A ideia é experimentar profissões e desde 2009 que as crianças passaram a poder, por alguns instantes, ser bombeiros, polícias, juízes, cabeleireiros, engenheiros e cozinheiros. Os chefes são uma das profissões da moda e aqui o espaço é gerido pela Bom Petisco, que desde a abertura da Kidzania instalou neste lugar uma escola de culinária.

O desafio é simples. As crianças recebem uma receita que aprendem a confecionar, seguindo os vários passos.

O atum é o ingrediente principal, ou não fosse esta a estrela da marca de conservas. Nos últimos tempos, a missão tem sido fazer um wrap que leva ainda queijo e cenoura. As instruções são dadas por uma coordenadora vestida como uma verdadeira cozinheira e os aprendizes têm aventais e barretes.

Além de querer promover uma alimentação saudável, explicou ao i Catarina Ferraz, responsável da Bom Petisco, outro objetivo do espaço é tornar as crianças embaixadores da marca nas suas casas.

Ao longo de 20 minutos tiram-se dúvidas e responde-se às questões das crianças. Depois de estar enrolado, o wrap vai ao forno 20 minutos e os pequenos cozinheiros podem degustá-lo antes de partirem para a próxima atividade no parque temático.

Como surgiu a ideia? Catarina Ferraz explica que o objetivo foi aproveitar a oportunidade para transmitir ideais de alimentação e estilo de vida saudáveis, em que as conservas de peixe desempenham um papel importante. “Não só são alimentos 100% naturais como também são de fácil confeção e muito versáteis, e é isso que lhes queremos mostrar numa experiência de cozinha real”, sublinha a responsável.

Com esta componente lúdica e pedagógica, admite Catarina Ferraz, esta acaba por ser “uma experiência positiva e enriquecedora com a marca”. E “uma excelente oportunidade para a Bom Petisco contactar com os consumidores do futuro, as crianças”.

Como noutras atividades do parque temático, há a preocupação de expor os diferentes objetivos pedagógicos da escola de culinária, que acabam por ser aproveitados pelas escolas, mas também pelas famílias.

No caso da escola de culinária, além de se dominarem as regras de ouro para uma boa manipulação dos alimentos, a ideia é reconhecer a importância da atividade humana para a obtenção e transformação de alimentos enquanto recurso energético necessário à vida, identificar formas, características e transformações que ocorrem nos alimentos e reforçar a autonomia das crianças na resolução de desafios, promovendo assim uma “autoestima positiva”, lê-se à porta da escola. O reconhecimento do trabalho reflete-se numa das curiosidades da Kidzania: as tarefas que as crianças realizam são pagas na moeda própria do parque. No caso da escola de culinária, por cada wrap confecionado, os pequenos cozinheiros recebem 8 kidzos que depois podem gastar como entenderem no recinto.

Para hoje, Dia da Criança, a Kidzania está a organizar várias atividades. Como habitual, além do avental de cozinheiro na escola Bom Petisco, as crianças podem vestir a pele de outras 60 profissões representadas nesta cidade construída à escala dos mais novos, onde o mote é “brincar aos adultos”. Mas uma das novidades é a estreia da peça “Branca de Neve e os Sete Anões” no Teatro Nacional da Kidzania, onde os visitantes passam a ser os atores.