Economia

Mudança. Adeus PT, olá Altice

Até ao final do segundo trimestre do próximo ano, a marca PT vai desaparecer e a operadora assume nova identidade. Este é o caso mais recente num mercado que conta com várias histórias idênticas em vários setores de atividade. 

A marca PT Portugal vai desaparecer até ao final do segundo trimestre de 2018, dando lugar à insígnia Altice - uma alteração que surge dois anos após a operadora ter sido adquirida pelo grupo francês de telecomunicações. Trata-se de uma marca única, um novo logótipo e uma nova assinatura, “Together Has No Limits”. No entanto, esta substituição vai ser feita de forma gradual. Para já, ainda não foi revelado quanto é que o grupo vai investir na unificação global de marca dos ativos de telecomunicações. 

“A transformação de uma holding detentora de diferentes ativos e marcas em todo o mundo num grupo global único, com uma só marca - Altice -, materializa a natureza internacional e digital do seu negócio e, simultaneamente, reforça o conhecimento e a experiência locais”, revelou a empresa. E os números falam por si: presente em dez territórios, quatro continentes, nomeadamente nos mercados europeu e americano, conta com cerca de 50 milhões de clientes, tendo gerado receitas superiores a 24 mil milhões de euros em 2016.

A ideia, de acordo com a operadora, é que as marcas MEO e PT Empresas passem a beneficiar da nova estratégia global da Altice, “que lhes permitirá criar mais sinergias e oferecer novos serviços e soluções sob uma única marca. Será a evolução natural no contexto de uma multinacional, com efeitos de escala e benefícios para todos os stakeholders”.

A nova estratégia de marca permite, quer a nível global, quer local, o aumento da produtividade e uma maior eficiência na otimização de custos, entre outros, de marketing, criatividade e inserções publicitárias, possibilitando a continuidade do investimento no negócio.

Para o CEO do grupo Altice, Michel Combes, trata-se de uma nova era. “Uma marca não é apenas um logótipo, é uma completa transformação para a companhia”, revelou durante a apresentação da nova marca. 

Também para o chairman e CEO da PT, “a Altice inicia uma era de inequívoca aposta na construção de um operador global convergente e líder em telecomunicações, conteúdos, dados, media, entretenimento e publicidade. Um grupo em que o papel de Portugal tem uma importância primordial no que diz respeito à inovação e ao desenvolvimento de redes de nova geração, selando um compromisso inquestionável com os portugueses e com Portugal”, revelou Paulo Neves.

A nova marca Altice começa por ser implementada já no terceiro trimestre na República Dominicana, onde o braço mobile do grupo opera sob a marca Orange, seguindo-se os restantes mercados, onde Portugal está incluído, até ao final do segundo trimestre de 2018.

Nasce MEO com fim da TMN A verdade é que não é a primeira vez que a operadora põe fim a marcas que comercializava. Com a separação da PT Comunicações e da PT Multimédia surgiu a marca MEO, em 2008. Mas, em 2014, os serviços móveis prestados pela marca TMN passaram a ter o nome MEO que, a partir daqui, passou a ser a marca central da operadora.