Cultura

Morreu Durval Moreirinhas

Ao longo de uma extensa carreira, a viola de um dos nomes da canção de Coimbra fez-se ouvir em várias partes do mundo. Do parisiense Olympia ao Lincoln Center, em Nova Iorque.

Acompanhou nomes como Amália Rodrigues ou Zeca Afonso e é tido como um dos nomes maiores da canção de Coimbra. O músico e compositor Durval Moreirinhas morreu esta segunda-feira, aos 80 anos, comunicou o músico Rui Pato à agência Lusa. O funeral realiza-se esta quinta-feira em Oliveira do Hospital.

Durval Moreirinhas nasceu em Celorico de Basto em 1937 e foi logo aos 10 anos que se mudou para Coimbra, onde apenas com 15 se juntou à Tuna Académica da Universidade de Coimbra. Pertenceu também ao Orfeon, com o qual realizou inúmeras digressões.

Autor de 12 fados e baladas de Coimbra, participou na gravação de mais de 30 discos, ao lado de nomes como Luiz Goes, Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Fernando Machado Soares ou o grupo Alma de Coimbra. Em 2006, recebeu o Prémio Amália Música de Coimbra, com Jorge Tuna, com quem estava a preparar um novo disco.

Ao longo de uma longa carreira, a sua viola fez-se ouvir em várias partes do mundo. Do parisiense Olympia ao Lincoln Center de Nova Iorque, Durval Moreirinhas passou pela Suécia, pela Espanha, Alemanha, Brasil, Argentina, Canadá, Japão, Angola, Cabo Verde, Itália, Macau e Hong Kong.