Desporto

FIFA pondera jogos com 60 minutos de tempo útil

Organismo que rege o futebol mundial vai discutir mais cinco alterações em março de 2018

O vídeo-árbitro foi a última inovação introduzida pela FIFA no futebol, mas o organismo promete não ficar por aqui. O International Board, que rege as regras da modalidade, vai apresentar mais seis propostas que serão analisadas em março de 2018, no próximo congresso da FIFA.

A mais relevante é a mudança para jogos com 60 minutos de tempo útil: duas partes de 30 minutos cada e o cronómetro a parar a cada pausa no jogo. Nesse cenário, deixam de haver também tempos de compensação no fim de cada parte.

Mas há mais. Se algum jogador evitar um golo certo com a mão, o árbitro transformará a grande penalidade correspondente em golo. Os atrasos aos guarda-redes também poderão passar a ser punidos com grande penalidade, ao invés do castigo atual (livre indireto dentro da área).

A obrigatoriedade da bola estar parada para a marcação de faltas também pode deixar de existir, bem como a necessidade de passar a bola a algum jogador numa marcação de canto ou livre - medidas que visam aumentar o ritmo de jogo.