Opiniao

E o futebol a sério voltou…

Segundo o estudo da Havas SE Fans Passion Brands sabemos que 77% dos Portugueses têm grande interesse no futebol

Este fim-de-semana arranca a Taça das Confederações, mais uma grande competição que, de repente, ganha todo um novo interesse para nós por causa da presença da Selecção Portuguesa.

Depois das emoções do Euro voltamos aos grandes estádios e reavivamos uma das paixões fundamentais dos nossos consumidores – o futebol.

Segundo o estudo da Havas SE Fans Passion Brands sabemos que 77% dos Portugueses têm grande interesse no futebol e vivem este território essencialmente numa vertente de imersão, entretenimento e identificação. No estudo estas vertentes são analisadas enquanto lógicas de engagement com o futebol que definem a nossa ligação, consumo e afinidade com este mundo.

Dentro destas lógicas conseguimos ainda analisar a relação que os consumidores desenvolvem com as diferentes marcas que actuam neste campo, desde as mais funcionais às mais emocionais. Perceber como os fãs interagem com as suas paixões é o foco deste estudo que pode depois orientar a estratégia das marcas de forma mais eficaz.
Ainda de acordo com o que analisámos, sabemos, por exemplo, que o pré e o pós jogo são parte importante da experiência para os fãs. A activação das marcas deve assim contemplar estes momentos, como é o caso da Heineken com as suas acções para oferta de bilhetes que são já verdadeiros casos virais.

Sabemos ainda que a participação de jogadores e equipas em campanhas de publicidade é apreciada pelos fãs de futebol o que explica que, de Cristiano Ronaldo a Messi, quase todos os craques sejam caras de grandes marcas desde Adidas, Nike, entre outras.

Dados que ainda que pareçam óbvios comprovam a força deste território e a grande oportunidade que constitui para as marcas comunicarem.

E em todo este universo o que é mandatório é o nosso grau de envolvimento com o futebol.

Para uma fanática como eu faz sentido saber quais as marcas que patrocinam o meu clube, quais as marcas que me dão acesso a experiências irrepetíveis ou ainda quais delas me dão conteúdos exclusivos. Mas para quem segue por exemplo só a nossa selecção, e só vibra nestes picos como é o caso agora da Taça das Confederações, a relevância dos conteúdos e a conversa é outra.

Em qualquer um dos casos as marcas devem lembrar-se que só conhecendo o fã de futebol conseguirão levar a sua marca até ele. Um fã de futebol segue esta competição pela emoção, pelo amor à camisola, pela tradição, pelos amigos , pela família.

Se uma marca for capaz de escrever a sua história neste contexto, fazendo parte dela sem ser intrusiva ou descabida, conseguirá um lugar cativo no coração do fã….e aí poderá mesmo tornar-se uma love brand.
Conselhos à parte, até porque há muitos bons exemplos de marcas neste território, chegou a hora de voltarmos a vibrar com a nossa selecção, sem apelo nem agravo, e com muita fé à mistura.

É certo que desta vez não temos o Éder, mas o melhor do mundo é nosso. Força Portugal!