Economia

Primeiras conclusões e Domingues de regresso

Comissão de inquérito quer esclarecer “contradições entre os depoimentos de Domingues e dos membros do governo”.


As primeiras conclusões da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a recapitalização e gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) vão ser conhecidas segunda-feira, aprovaram ontem os deputados, por unanimidade.

Também aprovada foi uma nova audição ao ex-presidente do banco público, António Domingues, mas esta com abstenção do PS e do PCP.

Na CPI, os deputados aprovaram por unanimidade um novo calendário que prevê o prolongamento dos trabalhos da comissão por mais quinze dias do que o previsto: até 18 de julho.

Com esta votação, o deputado Carlos Pereira (PS) terá de entregar até segunda-feira, dia 3, o relatório preliminar da CPI, contendo as primeiras conclusões dos deputados sobre a gestão e recapitalização do banco público. Os deputados terão depois até 10 de julho para apresentar propostas de alteração ao relatório preliminar, ficando Carlos Pereira responsável por entregar a versão final do documento a 14, para dia 18 seja votada.

Esta CPI incide sobre a gestão do banco público desde o ano 2000, culminando no processo de recapitalização de cerca de 5000 milhões de euros, aprovado entre o Governo e a Comissão Europeia, depois de a CGD ter apresentado um prejuízo de 1859 milhões de euros em 2016.

 

Agenda

Também ontem a segunda CPI_à CGD_aprovou o pedido do PSD para ouvir novamente o ex-presidente do banco público, António Domingues, com PS e PCP a absterem-se na votação.

O presidente da comissão, o social-democrata Aguiar-Branco, comprometeu-se a tentar agendar a audição para a próxima semana. O pedido de nova audição é justificado “face às manifestas contradições entre os depoimentos do dr. António Domingues e dos membros do Governo” ouvidos.

O ministro das Finanças e o secretário de Estado adjunto e das Finanças foram os únicos membros do Executivo ouvidos nesta CPI, que tem por objetivo apurar a atuação do Governo na nomeação, gestão e demissão da anterior administração da CGD.

A comissão aprovou ainda, por unanimidade, um requerimento do BE para formular perguntas por escrito à consultora McKinsey, que apoiou Domingues nas negociações com Bruxelas antes de assumir o cargo.