Sociedade

Roubo em Tancos é motivo de gozo em Espanha

Jornalista do El País ridiculariza Exército

O correspondente do El País em Portugal não poupa nas críticas nem nas piadas num texto sobre o roubo do material de guerra dos paióis em Tancos.

Javier Martín, que ao contrário de Sebastião Pereira – do El Mundo – tem vários artigos publicados no site do El País, goza com a ideia de Portugal ser um país pacífico. Tanto assim, considera o autor, que “há uma semana, uns estranhos foram à base militar de Tancos e trouxeram armas no carro sem que ninguém os impedisse".

O jornalista referiu mesmo que os autores do roubo "Levavam uma lista de compras em que tudo era grátis. Carregaram à mão caixas pesadas, andando para a frente e para trás 500 metros e saíram da mesma forma como chegaram, sem um tiro ou um ai". E continuou: "Encontrar iogurtes nos frigoríficos de sua casa levaria, seguramente, mais tempo".

Mas Javier Martín não fica por aqui e faz questão de sublinhar que os vigias encarregues dos paióis não terem munições "para evitar incidentes”. Os militares "vão rezando para que ninguém os ataque, porque só se podem defender de miúdos", escreveu ainda.

Para a estocada final, o jornalista escreveu: “Se o índice Global de Paz 2018, depois de conhecer o Exército que ‘trata’ de Tancos, não der o primeiro prémio a Portugal será uma grande injustiça”.