Politica

Ana Catarina Mendes pode ser próxima líder da bancada

Se Carlos César for chamado para o Governo, a secretária-geral adjunta do PS é a escolha mais provável para liderar o grupo parlamentar.


Ana Catarina Mendes é a mais provável líder da bancada parlamentar no caso de Carlos César ser chamado ao Governo. Ana Catarina Mendes tem ganho peso no partido desde que António Costa está na liderança e atualmente é secretária-geral adjunta do PS.

A deputada socialista passará a ter responsabilidades acrescidas no caso de o primeiro-ministro avançar com uma remodelação que implique a ida de Carlos César para o Executivo juntamente com Jorge Lacão.

Carlos César fez esta semana várias declarações sobre a crise que se abriu com os acontecimentos em Pedrógão Grande e Tancos. O presidente do partido não excluiu, no início da semana, a possibilidade de uma remodelação e afirmou que cabe ao primeiro-ministro «responder da forma que entenda adequada do ponto de vista da estrutura e composição do Governo».

César, em entrevista à TSF, defendeu, porém, que ainda não há razões para falar em demissões. «Uma primeira análise não indica uma responsabilização dos ministros que obrigue a uma tal decisão».

O presidente dos socialistas insistiu na ideia, na entrevista que deu no final da semana, de que o Governo tem de ter a capacidade de corrigir os erros. «Um Governo que não aprende consigo próprio é um Governo que não tem recuperação nem remissão. Felizmente, este Governo tem uma liderança que não acha que tem sempre razão e que encontra motivos para melhorar de forma permanente».

Após a reunião do grupo parlamentar, na quinta-feira, César já tinha afirmado que a «principal obrigação» do Governo é «retificar o que é necessário retificar. O que é indesculpável é não alterar um procedimento que se tenha concluído como errado, ou ignorar consequências de uma orientação cujos resultados não tenham sido positivos».