Economia

Pessoal de cabine da TAP deixa passageiros sem refeições

Situação tem incomodado muitos passageiros da companhia aérea

Ao que parece, pagar um bilhete de avião com uma refeição incluída já não é um direito. A atitude do pessoal de cabine da companhia aérea tem incomodado muitos passageiros ao longo das últimas semanas.

Em causa está uma antiga batalha, que tem por base o acordo de empresa entre a companhia aérea e os tripulantes de bordo, e que refere que sempre que um avião seguir com menos tripulantes do que sera suposto, o chefe de cabine pode decidir não fazer o normal serviço de bordo, decretando assim um “mínimo de segurança”. Ou seja, o voo segue na mesma, mas não há refeições nem quaisquer vendas, independentemente do número de horas que o voo dure. 

Esta situação tem vindo a ser repetida várias vezes, e constitui uma espécie de braço-de-ferro entre a transportadora aérea e o sindicato nacional do pessoal de voo da aviação civil.

O SNPVAC tem alertado para a necessidade de a empresa assegurar que tem disponível o número de tripulantes necessários, de forma a garantir os tempos de descanso devidos para o calendário de viagens.