Politica

Ana Catarina Mendes: “Se Passos não cortar o mal pela raíz, tornar-se-á cúmplice do racismo”

“O candidato do PSD e do CDS à Câmara de Loures tem produzido um conjunto de declarações de lamentável conteúdo racista e de ódio"


Em conferência de imprensa, ontem no Largo do Rato, Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta dos socialistas e coordenadora autárquica também exigiu uma tomada de posição por parte de Passos Coelho.

“O candidato do PSD e do CDS à Câmara de Loures tem produzido um conjunto de declarações de lamentável conteúdo racista e de ódio. É tempo de exigir a Pedro Passos Coelho que quebre o inadmissível silêncio em que mergulhou perante a gravidade destas declarações”, apontou. “Tem obrigação de cortar o mal pela raiz”, disse a número 2 do PS, “ou tornar-se-á cúmplice de semear o discurso da intolerância, do racismo e da xenofobia”.

“Passos Coelho ainda vai a tempo de impedir que este possa ser o discurso do PSD numa autarquia, seja ela qual for. Não o fazendo, Passos Coelho será conivente com o candidato e o PSD descerá um enorme degrau na sua degradação moral (não, o racismo não tem desculpa nem justificação)”, escreveu Filipe Neto Brandão, também parlamentar do PS.

Vários deputados socialistas também trouxeram o líder do PSD, Passos Coelho, para a polémica, incentivando-o a intervir. “Passos Coelho tem de se demarcar disto. Já. Ou será conivente com a ciganofobia”, assegurou Isabel Moreira. O presidente social-democrata esteve na quinta-feira passada em Loures para a apresentação da candidatura de Ventura.

Os comentários estão desactivados.