Desporto

Morata despede-se do Real Madrid e quebra vários recordes

Falhada a transferência para o Manchester United, avançado espanhol junta-se ao Chelsea por valores astronómicos

Chegou ao fim uma das mais badaladas novelas do mercado de transferências de verão, no que ao futebol diz respeito. Álvaro Morata trocou o branco do campeão da Europa e do país vizinho, Real Madrid, pelo azul do londrino Chelsea, numa transferência avaliada em 80 milhões de euros.

O avançado espanhol de 24 anos foi negociado durante meses a fio com o Manchester United de José Mourinho – o treinador que o lançou na primeira equipa do Real Madrid – e os blues, embora tivessem Morata debaixo de olho, estabeleceram como prioridade reforçar o ataque com Romelu Lukaku. 

Mas a antecipação dos red devils ao clube de Roman Abramovich levou o avançado belga para Old Trafford e deixou Morata… agarrado. Mourinho queixou-se do preço pedido pelo colosso espanhol e o jogador, convencidíssimo da mudança para Manchester, viu-se obrigado a rapar o cabelo, que pintara com tons de vermelho – a cor do clube do Special One.


Antonio Conte, treinador italiano do campeão Chelsea, decidiu então avançar para a contratação de Morata, oferecendo 80 milhões ao Real Madrid – o Manchester United não quis passar dos 64 – e um salário de 9 milhões por ano, numa transferência que bateu vários recordes.

Em primeiro lugar porque entrou diretamente para o top10 dos negócios mais volumosos da História. A saída para o Chelsea coloca Morata no oitavo lugar de uma lista liderada por Paul Pogba, transferido para o United em 2016, por 105 milhões de euros – a mudança de Cristiano Ronaldo para o Real Madrid, em 2009, fez-se por 96 milhões e é a segunda transferência mais cara da História.

Por outro lado, Morata tornou-se no mais caro futebolista espanhol de sempre, superando Fernando Torres – que trocou o Liverpool pelo Chelsea, em 2011, por 58 milhões – e no mais rentável negócio alguma vez feito pelo Real Madrid, destronando a venda do ex-Benfica Ángel Di María, também para o Manchester United, por 75 milhões, em 2014.

Álvaro Morata foi formado no Real Madrid e fez parte do plantel que venceu a Liga dos Campeões de 2013-2014, no Estádio da Luz, em Lisboa. Tapado pelo francês Karim Benzema, foi vendido à Juventus de Itália, onde fez 27 golos em duas épocas. O bom trabalho em Turim levou o gigante madrileno a acionar a cláusula de recompra do avançado que, na época 2016-2017, fez outros 20 golos em 43 jogos, a maioria deles como suplente utilizado. A procura de mais protagonismo e a possibilidade de o clube orientado por Zinedine Zidane poder fazer um bom encaixe financeiro, levou as duas partes a olhar para Itália – falou-se no AC Milan – e para Inglaterra, em busca de um bom negócio.


Convidado pela televisão oficial do Real Madrid a deixar uma mensagem aos adeptos merengues, Morata foi incapaz de esconder a emoção, mas ainda foi a tempo de “agradecer por tudo” e de deixar votos de sucesso ao clube espanhol. “Menos quando jogue contra mim…”, atalhou, entre risos nervosos.