Economia

Cabaz médio dos manuais escolares para o ano letivo 2017/2018 ronda os 112,5 euros

O preço do cabaz médio dos manuais escolares do próximo ano letivo (2017/2018), ronda os 112,5 euros, e o ano escolar mais caro é o décimo primeiro ano, uma vez que o valor chega quase aos 200 euros, segundo revela a associação de editores e livreiros.

Segundo as contas da Comissão do Livro Escolar da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, o cabaz médio de ensino secundário do próximo ano letivo é o mais caro, rondando um valor de 173,6 euros, sendo que os pais, para os filhos que vão entrar no décimo primeiro ano, chegam mesmo a gastar 196 euros nos seis manuais que são necessários.

No primeiro ciclo – do 1º ao 4º ano – os alunos precisam apenas de quatro manuais, e o valor médio ronda os 35 euros. No entanto, este custo vai subindo e o ano escolar mais caro em livros, para este ciclo, é o 4º ano, com um custo de 45,2 euros.

Já no 2º ciclo – 5º e 6º anos de escolaridade – o valor médio do cabaz ronda os 97,2 euros, sendo o ano mais caro o 6º, onde os cinco manuais custam 99,5 euros.

O aumento de preços não fica por aqui, e no 3º ciclo – 7º ao 9º ano – o preço médio dos manuais ronda os 162 euros. O 7º ano é o mais caro, com um custo total de 174,8 euros, sendo necessários oito manuais.

Estes valores foram calculados com base nos preços de venda ao público, com IVA incluído, dos manuais escolares dos diferentes anos de escolaridade, definidos através da Convenção de Preços em Vigor.