Sociedade

Vento dificultou combate aos incêndios de Coimbra, Gavião e Sertã

Segundo ANPC, o vento motivou um “constante reposicionamento dos meios”

Os incêndios voltaram ontem a deflagrar em várias zonas do país. As atenções da Proteção Civil estiveram direcionadas para Carvalhosas (Coimbra), Sertã (Castelo Branco) e Gavião (Portalegre), fogos cuja maior dificuldade no seu combate foi o vento, revelou a entidade. Segundo a adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, o vento obrigou a um “constante reposicionamento dos meios”.

Ao fecho da edição, a autoestrada do Pinhal Interior (A13), em Coimbra, estava cortada na zona de Almalaguês devido ao incêndio que mobilizou 301 operacionais e quatro meios aéreos. A responsável chegou a admitir que foi vivida uma situação complicada na praia fluvial do Mondego devido ao fumo, mas o local não chegou a ser evacuado.

De acordo com a informação divulgada na página de internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil, este incêndio começou às 15h10 na freguesia do Santo António dos Olivais, concelho de Coimbra.

Mais de 400 operacionais na Sertã Já o incêndio que lavrou no distrito de Castelo Branco, envolveu 411 operacionais, apoiados por 122 meios terrestres e nove aviões. No fecho da edição, ainda estavam duas frentes ativas. O incêndio deflagrou na localidade de Mosteiro de São Tiago, na freguesia de Várzea dos Cavaleiros, no concelho da Sertã. Para este incêndio foram acionados grupos de reforço de Lisboa, Santarém e Portalegre.

Patrícia Gaspar adiantou que este fogo estava a consumir mato, não estando habitações em risco. A adjunta nacional de operações admitiu, no entanto, que se registaram “momentos pontuais” de complicação, tendo em conta que o incêndio esteve junto a habitações mais dispersas, mas não se verificou qualquer perigo. Patrícia Gaspar disse ainda que, para este incêndio, foram mobilizados logo de início um grande número de operacionais, tendo em conta que esta é uma zona de elevado risco.

Gavião atingido Além de Coimbra e Sertã, mais de 200 operacionais, apoiados por 44 veículos e quatro helicópteros, encontravam-se a combater um incêndio no concelho de Gavião, no distrito de Portalegre, no Alentejo, revelaram os bombeiros.

Segundo a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre, o fogo deflagrou na tarde deste domingo às 16h11 numa zona de floresta, perto da localidade de Domingos da Vinha, na freguesia de Belver.