Vida

Mulher é diagnosticada com depressão em vez de cancro

Médicos estimam que a mulher tenha oito semanas de vida


Uma mulher britânica de 43 anos, Tina Locke, foi inicialmente diagnosticada com depressão, mas afinal sofre de um raro cancro no estômago.

Tina queixava-se de dores há quase dois anos, e quando foi ao hospital pediu exames, mas de acordo com a família as queixas nunca foram devidamente investigadas e a mulher acabou por ser diagnosticada com depressão.

Apesar dos vários pedidos para ser feita uma endoscopia, Tina Locke acabou por ser tratada com medicamentos para a ansiedade e fibronialgia, tudo à base de antidepressivos.

No final, acabou por realizar uma endoscopia, que permitiu obter o diagnóstico certo. A mulher sofre de um raro cancro no estômago, que já está espalhado por todo o revestimento da cavidade abdominal, devido ao diagnóstico tardio, tendo sido aconselhada, pelos médicos, a não se submeter a tratamentos de quimioterapia, pois estes podem causar a rotura no tumor.

Jason Locke, o marido de Tina, explicou que a família está a angariar dinheiro para que esta possa realizar um tratamento na Alemanha que já curou uma mulher com o mesmo tipo de cancro. "A visão dos médicos é que ela vai morrer mas a minha é que eles lhe devem a vida e se existe uma chance, nem que seja mínima, devem continuar a tentar, devem-lhe isso e eu vou continuar a lutar e a lutar", disse. 

Os comentários estão desactivados.