Vida

Ciência revela forma de tratar o tipo de cancro da pele mais fatal

Cientistas podem ter descoberto a forma mais eficaz de matar as células cancerígenas de melanoma, o tipo de cancro da pele que mais mortes causa.


Todos os anos milhares de pessoas são diagnosticadas com cancro da pele, e muitas vezes o diagnóstico acaba por ser fatal para cerca de 2500 pessoas.

Agora, um novo estudo revela que pode ter descoberto a forma mais eficaz de ‘atacar’ este tipo de cancro da pele, que é o mais fatal, o melanoma.

O melanoma é provocado, na maior parte das vezes, pela exposição aos raios ultravioleta, que representa uma responsabilidade de cerca de 75% das mortes causadas por cancro da pele.

Um estudo, publicado no European Journal of Medicinal Chemistry, descobriu que um composto encontrado em vegetais, como é o caso dos brócolos e da couve-flor, o isotiocianato, que quando é alterado e utilizado numa droga pode matar as células cancerígenas de melanoma sem afetar as células saudáveis circundantes.

Os cientistas realizaram testes em ratos e aperceberam-se que o composto teve sucesso tantos nos animais como nas células de humanos numa placa de Petri. O isotiocianato provocou a morte das células de melanoma humano e inibiu o crescimento do tumor em cerca de 69% dos ratos.

Segundo o Dr. Arun Sharma, citado pelo Express britânico, “há muitas recomendações que apontam que, por exemplo, os brócolos podem reduzir a probabilidade de desenvolver cancro. São boas recomendações para a prevenção, mas por si só os compostos nos vegetais podem não ser suficientemente potentes para ser usados em um ambiente terapêutico".