Internacional

Quénia. Criador do sistema eletrónico de voto encontrado morto e torturado

O cadáver de Chris Msando foi encontrado a pouco mais de uma semana do dia das eleições.

O homem que ajudou a criar o sistema electrónico de votação no Quénia e que presidia à comissão encarregada de acompanhar o funcionamento das máquinas de máquinas de voto nas eleições da próxima semana foi encontrado morto e com marcas de tortura.

O cadáver de Chris Msando foi encontrado nos arredores de Nairobi no sábado e a sua morte foi anunciada esta segunda-feira.

“Não há dúvidas de que foi assassinado e torturado”, disse ao "Guardian" o presidente da Comissão Independente de Eleições e Fronteiras, órgão em que Msando era responsável pelo departamento de comunicação e tecnologia. 

Aprofundam-se os receios de violência e manipulação eleitoral a pouco mais de uma semana do voto de 8 de agosto, disputado por Uhuru Kenyatta, na busca de um segundo mandato, e o experiente candidato Raila Odinga.

A história recente do Quénia assim o sugere e Kenyatta e Odinga têm-se acusado mutuamente de manobras ilegais para influenciar o voto, segundo noticiava ontem o “Guardian”.

Nas últimas eleições, em 2013, os dispositivos de voto eletrónico sofreram avarias e Odinga, que concorreu às duas últimas eleições, tentou impugnar o resultado, mas sem sucesso.

Já nas eleições de 2007, no momento em que a contagem de voto se interrompeu subitamente, Odinga convocou grandes manifestações que evoluíram para confrontos étnicos e resultaram na morte de 1200 pessoas.