Politica

PCP acusa governo de agir contra os “interesses da comunidade portuguesa” na Venezuela

Comunistas criticam governo por não reconhecer Assembleia Constituinte 

O PCP critica a posição do governo em relação à Venezuela. Os comunistas afirmam, em comunicado, que “a decisão do governo, seguindo a posição da União Europeia, de não reconhecimento da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela é contrária aos interesses da comunidade portuguesa naquele país e do necessário restabelecimento das condições de estabilidade política”.

O ministro Augusto Santos Silva considerou, esta quarta-feira, tratar-se de “um passo negativo no processo”.

Os comunistas reafirmam, em comunicado, que “a segurança da comunidade portuguesa residente na Venezuela implica a condenação das ações desestabilizadoras, terroristas e golpistas”.

A posição assumida pelo PCP mereceu duras críticas do eurodeputado socialista Francisco Assis. “O que o Partido Comunista demonstra, mais uma vez, é que a sua essência mais profunda não é a de um partido democrático”, disse, em entrevista ao i, Francisco Assis.