Desporto

Supertaça tira-teimas

Benfica e Vitória de Guimarães abrem a época futebolística de topo em Portugal. Em jogo está um troféu e a curiosidade para ver se os indicadores da pré-temporada se confirmam.

Tem início este sábado, de forma oficial, a época futebolística 2017/18 em Portugal - esquecendo a Taça da Liga, cujas primeiras eliminatórias já estão em marcha desde a terceira semana de julho. No Municipal de Aveiro, a partir das 20h45, joga-se o primeiro troféu da temporada, que continua a ser desvalorizado por muitos, seja pelo ideal em si (um título discutido num jogo único), seja pelos moldes em que se disputa em anos como este, quando não estão em compita o campeão nacional e o vencedor da Taça de Portugal - neste caso, o Vitória de Guimarães vai participar na condição de finalista vencido desta prova, perante um Benfica que venceu as duas competições.

Polémicas e ideais à parte, a verdade é que este encontro é encarado com grande curiosidade pelos entusiastas da bola. A desastrosa pré-temporada do tetracampeão nacional assim o dita: o Benfica perdeu quatro dos seis jogos que realizou na preparação, sendo mesmo goleado duas vezes (1-5 com os suíços do Young Boys e 2-5 perante os ingleses do Arsenal) e dando mostras de uma preocupante dificuldade em colmatar as saídas de três elementos nucleares do sector defensivo: o guarda-redes Ederson, o lateral-direito Nélson Semedo e o central Lindelof. Para cúmulo, os substitutos naturais dos dois primeiros, Júlio César e André Almeida, estão lesionados e não deverão recuperar a tempo da partida, pelo que Rui Vitória vai mesmo ter de recorrer a segundas (ou terceiras) opções para compôr a defesa. Isto, além de Mitroglou, também  ele de fora do encontro - mas para aí há Seferovic, a estrela da pré-temporada encarnada.

A verdade é que os encarnados têm sofrido com esta realidade todos os anos e depois têm sabido reerguer-se, encontrar soluções e continuar a ganhar. Se o Vitória de Guimarães, que perdeu referências como Hernâni ou Marega mas garantiu o excitante Estupiñán, tem atributos suficientes para fazer frente a este Benfica ‘mais debilitado’, é algo que iremos descobrir na noite deste sábado.

O encontro tem mais um aliciante: a possibilidade de Luisão quebrar um recorde histórico. Se o Benfica conquistar o troféu, o capitão encarnado torna-se no jogador com mais títulos na história do clube (20), superando o mítico Nené. Na Luz desde 2003/04, Luisão soma seis títulos de campeão nacional, três Taças de Portugal, três Supertaças e sete Taças da Liga. O central brasileiro é ainda o quarto jogador com mais jogos oficiais na história do Benfica: 514.