Vida

Perda de memória provocada pelo Alzheimer pode ser revertida

Um estudo do MIT revela que poderá vir a ser possível reverter a perda de memória que afeta os doentes com Alzheimer.

Segundo o estudo realizado e publicado na revista Cells Reports, poderá ser possível quebrar os bloqueios genéticos, dentro do cérebo, que provocam a perda de memória que advém da doença de Alzheimer.

Esta perda de memória acontece quando a enzima HCAC2 comprime os genes cerebrais da memória, até que estes se tornam inúteis, levando, por sua vez, ao esquecimento e à dificuldade em formar novas memórias.

O MIT conseguiu bloquear, com sucesso, a ação da enzima HCAC2 sem afetar outras enzimas. Esta técnica utilizou luzes LED para impedir que a enzima se ligasse a outra componentes, Sp3, que a ajuda a conseguir bloquear os genes.

Para já, como reporta o Independent, esta técnica foi testada apenas em ratos, mas a principal autora do estudo, Li-Huei Tsai, diz que pode ser eficaz e possível reverter os efeitos da doença na memória em humanos.