Vida

Cada vez mais bêbedos provocam incidentes em voos comerciais

Nem todos ficam muito à vontade com embarcarem num autocarro que em vez de rolar pelas estradas, corta nuvens e com uma grande dose de magia aguenta todo o seu peso nos céus levando no bojo centenas de pessoas. Alguns precisam de beber para acreditar, para acalmar o pânico de uma queda, outros simplesmente bebem quando voam do mesmo modo que quando têm os pés (mais ou menos firmes) em terra

A notícia é esta: aumentou em 51% o número de pessoas detidas por provocarem incidentes em pleno voo ou em aeroportos, estando debaixo da influência de bebidas alcoólicas. Um aumento significativo face ao ano passado e que levou a BBC a perguntar aos internautas se estes sentem necessidade de beber para dissipar os receios face à infalibilidade de um dos mais espantosos milagres da técnica.

A maioria dos inquiridos não apenas rejeitou esta hipótese do álcool como ajudante para os nervos, ainda defenderam a proibição do seu consumo nos aeroportos e aviões, assim como penalizações para quem seja dado como bêbeado nos mesmos. A principal razão é o facto de a tripulação e os restantes passageiros não terem de ser colocados em situações de desconforto por estas pessoas que voam ao quadrado.

No ano passado, o ministro britânico da aviação, Tariq Ahmad, propôr uma lei que impedisse a venda de álcool nos aeroportos depois de ter recaído sobre a atenção pública um conjunto de incidentes protagonizados por passageiros com os espíritos demasiado elevados.

As medidas anunciadas por Ahmad passavam pela definição de um horário restrigindo o período durante o qual se podem vender bebeidas álcoólicas nos aeroportos, uma vez que actualmente estas não estão sujeitas a qualquer das restrições que vigoram em muitos países. Mas a medida poderia ir mais longe e prever uma proibição de venda 24 horas.

A Associação de Imprensa revelou que pelo menos 442 pessoas foram detidas entre 2014 e 2016 por suspeitas de estarem embriagadas no aeroporto ou no avião. E, em maio do ano passado, uma passageira deu uma estalada a um piloto da EasyJet quando este lhe ordenou que abandonasse um avião com destino a Chipre, isto porque era visível que tinha no sangue uma dose de álcool muito acima do recomendado.

Meses antes, seis homens britânicos celebrando uma despedida de solteiro, foram detidos pela polícia alemã por terem provocado uma cena de pancadaria a meio de um voo que obrigou a Ryanair a desviar o curso de Luton a Bratislava para uma paragem de emergência em Berlim.

Entretanto, e em resposta, a British Air Transport Association e a Airport Operators Associations publicaram um protocolo sobre a actuação a observar por parte da tripulação em caso de se deparar com passageiros com comportamentos inadequados. Até ao momento, esta é a única reforma que se conseguiu levar a cabo.