Internacional

Venezuela. Colômbia oferece asilo a procuradora afastada

Procuradora fugiu para a Colômbia na sexta-feira, acompanhada do marido. 

A ex-procuradora-geral venezuelana que na sexta-feira fugiu para a Colômbia de barco e avião está sob a guarda do presidente Juan Manuel Santos, que esta segunda-feira anunciou que está preparado para lhe garantir asilo político.

“Luisa Ortega está sob a proteção do governo colombiano”, escreveu Juan Manuel Santos no Twitter. “Se ela pedir asilo, nós vamos concedê-lo”, esclareceu o presidente colombiano, um dos mais duros críticos internacionais de Nicolás Maduro.

Luisa Ortega Díaz estava impedida de viajar para fora da Venezuela, mas, na sexta-feira e acompanhada do marido, a ex-procuradora-geral entrou secretamente num barco até ao pequeno país e ilha Aruba, de onde depois apanhou um avião privado para Bogotá.

A antiga procuradora voltou-se contra o governo de Nicolás Maduro no eclodir do mais recente período de violência e tornou-se numa das vozes mais sonantes contra a eleição da Assembleia Constituinte, o órgão plenipotenciário concebido para defender o oficialismo.

Foi essa mesma Assembleia Constituinte que afastou Luisa Ortega Díaz na sua primeira sessão, no início do mês. O Supremo Tribunal da Venezuela rejeitou também o seu pedido para investigar a alegada fraude nos números da participação eleitoral.

O seu marido, o deputado German Ferrer, está também em fuga de um mandato de detenção decretado pelo Supremo Tribunal. Numa entrevista recente à Reuters, Luisa Ortega Díaz disse que temia que o regime lhe pudesse “roubar a vida”.