Sociedade

Pesqueiro português retido em França há três semanas por pesca ilegal

30 toneladas de atum rabilho e tubarão-sardo foram apreendidas

As autoridades francesas apresaram uma embarcação portuguesa no porto francês de Lorient, após terem descoberto a bordo 30 toneladas de atum rabilho e tubarão-sardo, cuja pesca é proibida.

O armador da traineira ‘Vila do Infante’, António Cunha, de Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, distrito de Viana do Castelo, confirmou à agência Lusa que o "barco está retido há três semanas".

"Devido à gravidade das infrações, o navio ficou no porto de Lorient. O navio foi apresado e o pescado apreendido", refere um comunicado da Direção do Departamento dos Territórios e do Mar.

A multa pelas infrações pode atingir os 22.500 euros, de acordo com o mesmo documento.

As autoridades francesas já anunciaram que querem avançar com um processo judicial contra o proprietário da embarcação com pavilhão português.

Esta não é a primeira vez que o armador em causa tem problemas com a justiça. Em 2011 o seu barco ‘Ana da Quinta’ naufragou ao largo dos Açores, provocando a morte a nove pescadores. Na época, o tribunal deu como provado que nenhum dos tripulantes tinha habilitações para comandar o barco, propriedade de António Cunha.