Vida

Nuno Markl faz apelo na Internet

Humorista partilhou carta aberta na Internet 

Nuno Markl faz apelo na Internet

Nuno Markl recorreu às redes sociais para fazer um apelo aos YouTubers portugueses.

Numa carta aberta publicada no Facebook, na quinta-feira, o humorista pede aos YouTubers que gritem menos, não digam asneiras e que usem bem o poder que têm.

Em primeiro lugar, Nuno Markl elogiou e felicitou os YouTubers pelo sucesso que têm vindo a conquistar ao longo do tempo e, através de exemplos, explicou o seu ponto de vista, frisando alguns aspetos negativos que gostaria de ver melhor recordando a sua infância e comparando-a com os tempo de hoje.

“Quando eu tinha 8 anos, tudo o que eu tinha era dois canais, brinquedos e livros. Conseguíamos divertir-nos à grande, aprender alguma coisa e éramos estimulados a criar. Tínhamos menos coisas, éramos mais atentos e dedicados a cada uma delas. Não estou a dizer que fosse melhor - mas hoje em dia a quantidade de ofertas e estímulos para os miúdos é torrencial. E nessa torrente, vocês deveriam estar gratos pela fidelidade com que pessoas como o meu filho vos seguem e adoram. Vocês são novos heróis. E, nunca é demais frisar, vocês têm poder”, afirmou.

“Acho só que talvez gritem demais. […] Cada um é como cada qual e não quero maçar ninguém com conversa de idoso sobre barulho. O que me preocupa mais é quando esses gritos são acompanhados de exclamações tais como: ‘Filho  da  ****! Ca*****!”, continuou.

Nuno Markl referiu ainda que a Internet é um meio muito influenciar e que os jovens estão cada vez mais presos a esta inovação:

“Tentei há tempos interromper o visionamento que o meu filho estava a fazer de vídeos vossos para que fôssemos os dois levar garrafas de água ao quartel de bombeiros. Percebi que, apesar dos esforços que fazemos para que ele perceba que temos de ser uns para os outros, ele preferia ali, naquele momento, ser um para ele - não pretendia levantar o rabo para ajudar, preferia estar a ver os vossos vídeos. Tivemos uma discussão e acabei por quase arrastá-lo para a missão solidária - da qual ele acabou por gostar”.

““Pelo meu filho e por outros que vos seguem, adorava que fossem mais longe do que os gritos, os gadgets e a publicidade, e pensassem no filha da mãe de poder que têm nas mãos para contribuir para um futuro francamente menos merdoso que o presente que temos no mundo”, rematou.

Os comentários estão desactivados.