Internacional

Líder da NATO diz que o mundo está no ponto mais perigoso desde o fim da Guerra Fria

Jens Stoltenberg diz que há muita instabilidade e "muitos desafios ao mesmo tempo". 

O secretário-geral da NATO diz que o mundo está mais perigoso hoje do que em qualquer outro momento na sua carreira de 30 anos. Jens Stoltenberg disse-o numa entrevista publicada esta sexta-feira pelo jornal “Guardian”, a dias do início de uma semana de grandes exercícios militares russos em que podem ser mobilizados à volta de cem mil militares.

“Está mais imprevisível e está mais difícil porque temos muitos desafios ao mesmo tempo”, afirmou Stoltenberg, respondendo a uma pergunta sobre se na sua carreira atravessara um período tão crítico como o de agora. “Temos proliferação de armas de destruição macição na Coreia do Norte, temos terroristas, instabilidade, e temos uma Rússia mais assertiva”, disse.

Para além de antecipar os exercícios militares russos – e bielorussos – da próxima semana, as declarações de Stoltenberg surgem a um dia do aniversário da criação do regime norte-coreano, a 9 de setembro, uma data que é celebrado na dinastia dos Kim com marchas militares, como acontece todos os anos, mas regularmente com ensaios balísticos e nucleares.

Questionado sobre se a crise norte-coreana e a troca de ameaças entre o regime e os EUA – a embaixadora americana diz que Kim “está a implorar por uma guerra” e Trump carregou com novas ameaças –, Stoltenberg atirou para o meio: “Creio que a coisa mais importante agora é cirarmos uma situação em que encontremos uma solução política para a crise.”