Politica

“Ao PSD não basta mudar de líder, tem de mudar de vida”

Duarte Marques vai propor um congresso antes das diretas.

Aproveitar esta oportunidade de fim de ciclo no PSD, com a saída de Pedro Passos Coelho, para mudar o partido, modernizá-lo, introduzir novas formas de debate interno, mudar a sua estrutura, a formação, a comunicação e a seleção de candidatos. O que defende o deputado Duarte Marques é que a reflexão sobre o futuro do partido se faça de forma aberta e alargada, com congresso antes das diretas.

“Se o partido se quer renovar e abrir tem que mudar o modelo de eleição e o modelo de discussão”, afirmou ao i o antigo líder da JSD. Para Duarte Marques, a esta altura, “ao PSD não basta mudar de líder, tem que mudar de vida”.

Salientando que se tratam de ideias que já defendeu dentro do partido há seis anos (quando ainda era líder da JSD), o deputado defende a realização de “um congresso antes das diretas” que se divida em três partes: uma primeira sobre a estrutura, a formação, a comunicação e a seleção de candidatos; a segunda parte que defina as políticas públicas e a estratégia do partido para o futuro; e, finalmente, uma terceira, com o debate em palco dos candidatos, que responderiam a perguntas dos congressistas.

O antigo líder dos jovens ‘laranjas’ gostava que, em sinal da modernização do partido, este congresso deve servir para mostrar que o PSD continua a ser um partido virado para fora, moderno e aberto a muitas contribuições.

Em março de 2012, a proposta de Duarte Marques e da JSD_chegou a ser aprovada na generalidade pelos congressistas sociais-democratas, só que depois quase todas as propostas foram chumbadas, incluindo a ideia para um congresso com “um modelo diferente e inovador”. Será desta?