Desporto

Mundial. Argentina apurada com show de Messi, Chile e EUA estão fora (com vídeo)

A Pulga fez um hat-trick e levou o seu país às costas até ao Mundial. O Panamá vai estrear-se na competição

Uma exibição de sonho de Messi colocou a Argentina no Mundial. O astro argentino marcou os três golos com que a seleção alvi-celeste venceu no Equador (1-3), confirmando assim o terceiro lugar final na fase de qualificação sul-americana.

À entrada para a última jornada, os argentinos estavam fora da zona de apuramento. Tinham, ainda assim, a consciência de que um triunfo os colocava na Rússia; o problema é que não venciam em Quito desde 2002... E pior ficou a situação quando a equipa da casa marcou ainda antes de ficar concluído o primeiro minuto, com Iborra a bater Sergio Romero.

Foi então que surgiu Messi. Tantas vezes criticado pela própria Imprensa argentina, que o acusa de não render pela seleção o mesmo que rende no Barcelona, a Pulga levou a equipa às costas até à Rússia. É verdade que nos dois primeiros golos, aos 12' e aos 20', contou com enorme facilitismo da defesa equatoriana; o terceiro, contudo, foi extraordinário: um chapéu ao guardião e a Argentina estava na fase final. Salvio (Benfica) e Acuña (Sporting) foram titulares no conjunto orientado por Jorge Sampaoli.

No fim, Messi não escondeu o alívio: "Seria uma loucura não estarmos no Mundial." Já o selecionador foi ainda mais perentório nos elogios ao maior craque da sua seleção: "Messi não deve um Mundial à Argentina, o futebol é que deve um Mundial ao Messi. É o melhor jogador da história. Era muito ilógico que o torneio mais importante do Mundo não o tivesse. Na palestra antes do encontro, dissemos que todos tínhamos que levar o Leo ao Mundial. Fortalecemo-nos como grupo para conseguir que ele se libertasse e pudesse mostrar tudo o que mostrou."

Nos outros jogos que se disputaram esta madrugada na zona sul-americana, o grande destaque vai para a eliminação do Chile, que entrou para esta última ronda no terceiro lugar. Perante um Brasil já apurado há muito, os chilenos não mostraram qualidade suficiente para competir nesse patamar: o 3-0, com um golo de Paulinho e um bis de Gabriel Jesus, associado aos outros resultados, deixou o bicampeão sul-americano de fora da prova que terá lugar na Rússia no próximo verão. Lá estarão, de certeza, o Uruguai, que bateu a Bolívia por 4-2 (o portista Maxi Pereira entrou na segunda parte), e a Colômbia, apurada com o empate (1-1) conseguido no Peru. Os peruanos acabaram em quinto, com os mesmos 26 pontos do Chile mas com melhor diferença de golos, e terá agora de disputar o play-off intercontinental com a Nova Zelândia, vencedora da zona de apuramento da Oceânia. Também o Paraguai, que ainda tinha francas possibilidades de apuramento - só precisava de vencer na receção à Venezuela -, acabou a chorar, perdendo por 1-0 com um golo aos 84'.

Mais uma grande surpresa ficou reservada para a zona de qualificação da CONCACAF: os Estados Unidos foram eliminados, com o Panamá a conseguir o primeiro apuramento da sua história. Os norte-americanos só precisavam de um empate no terreno do modesto Trinidad e Tobago, que tinha apenas três pontos em nove jogos, mas foram surpreendentemente derrotados (2-1) e ficam assim de fora do primeiro Mundial em 32 anos.

No Panamá, a equipa da casa esteve a perder frente à Costa Rica (assistência de Bryan Ruiz, que está em litígio com o Sporting), chegando ao empate no início da segunda parte num lance muito polémico: a bola não chegou a entrar na baliza costarriquenha - embora também pareça haver uma falta passível de grande penalidade.

 

 

Os panamianos acabariam por conseguir o golo da vitória a dois minutos dos 90, por intermédio de Román Torres, levando todo um país à loucura total.

 

| #SomosLaSele | EL GOOOOOOOOL QUE NOS TIENE EN EL MUNDIAL!!!!!!!! pic.twitter.com/A2hkCu3bhN

— SomosLaSele (@SomosLaSele) October 11, 2017

 

Os panamianos juntam-se assim à Islândia como as duas estreantes - para já - em Mundiais. O golo tardio de Torres significou também uma "despromoção" para as Honduras, que a dois minutos do fim estavam apuradas de forma direta. No fim, o 3-2 sobre o México (o benfiquista Jiménez e o portista Herrera fizeram as assistências para os golos dos aztecas) acabou por levar os hondurenhos para o play-off intercontinental com a Austrália, a seleção "repescada" da zona asiática de apuramento.

 

Os 23 países já apurados para o Mundial:

UEFA (Europa)

Rússia (anfitriã)
Alemanha
Inglaterra
Bélgica
Espanha
Polónia
Sérvia
Islândia
Portugal
França


CONCACAF (América do Norte e Central)

México
Costa Rica
Panamá


CONMEBOL (América do Sul)

Brasil
Uruguai
Argentina
Colômbia


CAF (África)

Nigéria
Egito


AFC (Ásia)

Japão
Coreia do Sul
Arábia Saudita
Irão