Desporto

Inglaterra. Mourinho contra a “boa equipa” de Klopp e Guardiola a esfregar as mãos

O Liverpool-Manchester United é o jogo grande da ronda 8 da Premier League. Em Espanha, o Atlético de Madrid tem uma oportunidade de ouro para diminuir distâncias

O fim de semana futebolístico internacional começa já nesta sexta-feira com um encontro entre dois conjuntos que falam português: em França, o Lyon de Anthony Lopes recebe o Mónaco, orientado por Leonardo Jardim e com João Moutinho e Rony Lopes no plantel. Depois dos dois tropeções consecutivos, na Liga dos Campeões (0-3 com o FC Porto) e na Ligue 1 (1-1 com o Montpellier), os monegascos estão obrigados a vencer para afastar o mau momento e não deixar o PSG fugir ainda mais na frente.

As grandes emoções, todavia, estão reservadas para sábado. Desde logo porque, a partir das 12h30, Liverpool e Manchester United se defrontam em Anfield, num dos encontros mais históricos do futebol mundial. Nos últimos quatro embates com os reds, José Mourinho não conseguiu vencer (duas derrotas e dois empates). Agora está apostado em mudar a história recente, perante “uma boa equipa, recheada de jogadores muito bons” e orientada pelo carismático Jürgen Klopp. Ainda assim, acredita num triunfo que permita continuar na frente da Premier League – até porque, pouco depois, o Manchester City de Bernardo Silva recebe o Stoke, num encontro que se antevê relativamente tranquilo para os citizens, até agora colíderes com os rivais de Manchester. Seja qual for o desfecho do Liverpool-Man. United, Pep Guardiola acabará sempre a esfregar as mãos de contente – um dos rivais ou os dois perderão pontos.

Realce ainda para o jogo entre o Watford, de Marco Silva, e o Arsenal, do eterno Arsène Wenger. O conjunto do técnico português está a realizar um campeonato acima das expetativas, tendo averbado apenas uma derrota (0-6 contra o City).

 

Ronda grande em itália

Mas não é só em Inglaterra que haverá lugar a grandes clássicos. Em Itália, o sábado reserva um Juventus-Lázio: os laziali, de Nani, estão apenas a três pontos da Vecchia Signora, que na última ronda escorregou e deixou o Nápoles fugir. Por falar nos napolitanos, por estes dias uma das mais apaixonantes equipas da Europa, entram em campo pouco depois no mítico Estádio Olímpico para defrontar a Roma, outra eterna candidata ao título. E no domingo, como se não bastasse, há um Inter de Milão-AC Milan. Entre João Mário e André Silva, só um poderá acabar a sorrir.

E da Serie A italiana seguimos para Espanha, onde à mesma hora do Roma--Nápoles se disputará um escaldante Atlético de Madrid-Barcelona. Até agora, a caminhada dos blaugrana no campeonato tem sido perfeita: sete jogos, sete vitórias. No entanto, os colchoneros têm aqui uma oportunidade de ouro para encurtar a distância em relação ao Barça, neste momento cifrada nos seis pontos. Por essa altura, já o Real Madrid terminou o seu jogo na visita ao vizinho Getafe: em caso de triunfo, os merengues estarão, por uma vez na vida, a torcer por uma vitória dos eternos rivais de Madrid, que significaria um tropeção catalão e, também para Cristiano Ronaldo e companhia, a diminuição da desvantagem pontual em relação ao topo da classificação.