Desporto

Taça de Portugal. Cinco equipas da I Liga eliminadas

Estoril, Boavista, Tondela, Belenenses e Paços de Ferreira estão fora da prova - canários e panteras perderam nos terrenos de Farense e Vilaverdense, ambos do terceiro escalão

O domingo de Taça de Portugal produziu, para já, cinco grandes surpresas: os primodivisionários Estoril, Boavista, Tondela, Belenenses e Paços de Ferreira estão fora da prova, depois de terem sido derrotados às mãos de equipas de escalões inferiores.

Destaque para os feitos de Farense e Vilaverdense. Num jogo a lembrar outros tempos, os algarvios, atualmente a competir no Campeonato de Portugal, receberam o Estoril no Estádio de S. Luís e venceram por 1-0, com o golo do triunfo a surgir aos 77 minutos, num penálti apontado pelo internacional português Jorge Ribeiro. Os canários, que sofreram a sétima derrota consecutiva, jogaram desde os 27' reduzidos a dez unidades, por expulsão de Kléber, que acertou na cara de Bruno Bernardo quando tentava um pontapé de bicicleta.

Já o Vilaverdense, também do terceiro escalão do futebol nacional, bateu o Boavista pelo mesmo resultado. Um golo solitário de Rafael Vieira, já nos descontos da primeira parte, espoletou a festa da equipa de Vila Verde e a ira dos adeptos boavisteiros, que chegaram mesmo a atirar água ao técnico Jorge Simão.

Tondela, Belenenses e Paços de Ferreira, por seu lado, caíram no terreno de equipas da II Liga: Leixões, Santa Clara e Académica. Em Matosinhos, os beirões até estiveram a vencer por 0-2 (Tomané aos 14' e Murillo aos 47'), mas viriam a permitir a recuperação dos homens da casa (Breitner da Silva aos 70' e Kukula aos 84'); no prolongamento, o brasileiro Bruno Lamas selou a reviravolta aos 96', fazendo o 3-2 final. Já nos Açores, o Santa Clara adiantou-se aos 40', por Fernando Andrade, com Maurides a empatar aos 51' para o Belenenses. Em cima do apito final, Clemente apontou o 2-1 que levou ao delírio o público açoriano e ditou a eliminação dos azuis de Belém. Em Coimbra, um penálti aos 90'+12' deu o empate à Académica, que viria a selar a reviravolta no prolongamento por intermédio de Marinho, o homem que deu a Taça aos estudantes em 2011/12, marcando o golo da vitória na final frente ao Sporting (1-0).

De resto, destaque para os muitos problemas de Portimonense, Vitória de Setúbal e Aves para superar equipas de escalões bastante inferiores. Os algarvios precisaram dos penáltis para superar os alentejanos do Moura, depois do 0-0 no tempo regulamentar, sendo que o desempate final foi bastante caricato: já depois de todos os outros jogadores de campo do Moura terem batido uma grande penalidade, sobrou o avançado congolês Botuly, que tinha acabado o encontro em grandes dificuldades e não se encontrava em condições para marcar. Avançou o guardião Igor Landim, que atirou ao poste e deu o apuramento ao Portimonense. Já os sadinos só conseguiram bater o vizinho Pinhalnovense no prolongamento, depois de um golo de Alain Pilar aos 90'+6' ter anulado o tento inaugural de Gonçalo Paciência (65'). João Teixeira, aos 113', fez o 1-2 final. Em Vila Real, só um auto-golo de Júnior, a quatro minutos dos 90, garantiu a vitória ao Aves: 0-1.

Chaves (0-3 no terreno do Fátima), Rio Ave (0-4 em casa da Sanjoanense) e Moreirense (3-1 em Gaia, contra o Canelas) foram as restantes equipas da I Liga a seguir em frente, nestes casos sem problemas de maior.


Lista de apurados:

Sporting (I)

FC Porto (I)

Marítimo (I)

V. Guimarães (I)

Sp. Braga (I)

Cova Piedade (II)

Feirense (I)

Benfica (I)

Felgueiras (CP)

Famalicão (II)

Desportivo de Chaves (I)

Moreirense (I)

Vilaverdense (CP)

Vizela (CP)

União de Leiria (CP)

Rio Ave (I)

Desportivo das Aves (I)

Nacional (II)

Farense (CP)

União Madeira (II)

Caldas (CP)

Arouca (II)

Santa Clara (II)

Leixões (II)

Vitória Setúbal (I)

Portimonense (I)

Praiense (CP)

Académica (II)