Sociedade

Ministra pediu para cortar o novo relatório sobre Pedrógão Grande

A sexta parte do relatório foi entregue na segunda-feira no Ministério da Administração Interna (MAI).

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano, pediu para que o sexto capítulo do relatório de Pedrógão Grande fosse cortado da versão online, para proteger as vítimas.

O relatório tem 238 e está disponível no portal do Governo, sendo um dos capítulos mais importantes sobre os incêndios em Pedrógão Grande. Este capítulo é dedicado aos acidentes pessoais e começa por falar sobre as mortes.

No relatório, são analisados alguns casos de sobreviventes, pessoas que estiveram em perigos, algumas que sofreram ferimentos e por fim, os casos em que foi prestado socorro.

No entanto, pode ler-se na versão online que a causa foi retirada “por motivos relacionados com a Proteção de Dados Pessoais, será disponibilizado oportunamente, logo que seja tornado anónimo”, que segundo o Expresso terá sido uma decisão da própria ministra da Administração Interna.

O mesmo jornal referiu também que quem não gostou da versão cortada foi a Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande que chegou a ameaçar não comparecer ao encontro agendado com António Costa para a próxima quarta-feira se o documento não fosse divulgado por inteiro.

No entanto, ambas as partes já concordaram e o capítulo será disponibilizado com o nome de todas as vítimas.