Dívida Pública

Novo recorde de juros negativos

Os juros a pagar por Portugal na emissão de dívida de curto prazo voltaram a bater recordes negativos. A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) realizou um duplo leilão de Bilhetes do Tesouro a três e 11 meses no valor de 1250 milhões de euros.

No leilão a três meses o IGCP colocou 300 milhões de euros a uma taxa de juro de -0,389%. No último leilão no mesmo prazo, a 16 de agosto, a taxa média ponderada tinha sido de -0,348%. A procura superou em 4,55 vezes a oferta.

Já no prazo a 11 meses foram levantados 950 milhões de euros com uma taxa associada de -0,325%, contra os -0,291% do leilão no mesmo prazo, de há dois meses. A procura, neste caso, superou em 1,75 vezes a oferta.

O Estado tinha previsto arrecadar entre 1000 e 1250 milhões de euros, naquela que foi a primeira ida ao mercado depois da apresentação do Orçamento do Estado para 2018. 

Os leilões desta quarta-feira foram numa altura de baixas taxas de juro. A dez anos, o prazo de referência, chegaram na semana passada a 2,286%, um mínimo desde dezembro de 2015.