Sociedade

Bispos reagem à polémica do acórdão do Tribunal da Relação do Porto

O acórdão citava a Bíblia e referia que, num caso de violência doméstica, o adultério da mulher servia de atenuante.

O padre Manuel Barbosa, porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, comentou esta terça-feira a polémica do acórdão do Tribunal da Relação do Porto. Para os bispos, os tribunais não devem recorrer à Bíblia.

“Não é de apelar à Bíblia para fundamentar essas decisões, para mais neste caso em que há uso incorreto, ou incompleto”, referiu o padre Manuel Barbosa citado pelo Observador.

“Não se trata de aceitar o adultério, mas de respeitar a dignidade da mulher e de se colocar numa perspetiva de perdão e misericórdia”, acrescentou.

Recorde-se que este domingo foi tornado público um acórdão do Tribunal da Relação do Porto em que um crime de violência doméstica foi atenuado devido ao adultério da mulher.